O retrato falado de seu personagem favorito

o livreiro retrato falado dos seus personagens favoritos

Na #flip2009 um stand lançava uma rede social para quem quer falar de livros. Não é uma total novidade, há outras, como o brasileiro Skoob – O que você está lendo? e o internacional Good Reads, mas O Livreiro vem com o charme da FLIP e a chancela de uma livraria de renome. Independente da rede, a ideia de compartilhar dicas literárias – que vão de auto-ajuda à filosofia, de lançamentos aos clássicos universais – é excelente e deve ser sempre ressaltada e valorizada. Minha colega de festa literária, @ladyrasta, se encantou com O Livreiro pelo patrocínio de sua livraria favorita e mostrou isso no post Retrato falado de personagens literárias lança comunidade de livros brasileira.

Aliás, esta idéia do retrato falado era absurdamente fantástica! Fiquei com a pergunta deles na cabeça por dias:

Você já parou para imaginar como o seu personagem favorito da literatura seria na vida real?

E sinceramente, não consegui. Fiquei pensando em tantos livros, sem conseguir me ater a um único, indecisa e receosa de perder o que tem de especial nestes personagens, como se ao dar forma ao que eles são dentro de mim eu me desfizesse, de propósito, de parte do encanto. Mas os vídeos de personalidades fazendo seus retratos falados são, por outro lado, interessantes e às vezes dá vontade de falar junto, opinar, mudar…

O da Fernanda Takai

E o do Edney Silvestre

E você, se fosse escolher, qual e como seria o seu personagem a ganhar retrato falado?

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook