destaque / entretenimento

Tem sido épica a saga de Vingadores: Era de Ultron nas salas de cinemas do Brasil. 

  

Se você ainda não viu porque acha que quadrinhos são muito nerd ou é filme de criança, digo para rever seus conceitos. Se você gosta de filmes de ação, direi para não perder. 

E se você, como eu, estava com a cara virada para o filme por causa da entrevista idiota na qual Chris Evans foi na onda do babaca do Jeremy Renner, garanto que eles não representam o Capitão e o Arqueiro. 

Na verdade, se não fosse por este deslize besta do Jeremy, eu teria colocado o Arqueiro numa posição bem melhor entre meus heróis Marvel depois do filme Era de Ultron. 

  
Mas desculpe, não consigo fazer isso, sou muito feminista e preciso apoiar a Viúva Negra


[spoiler]  
Aliás, antes do filme revejam a entrevista da Scarllet e do Mark, a química entre os atores vai fazer diferença positiva no contexto do filme 😉 
[fim do spoiler]

  
O fato é que filme acertou na mescla de aventura, humor e (muita!) ação, agradando a audiência brasileira. 

Soube que está há quatro semanas consecutivas em primeiro lugar em público no Brasil, resultando em mais de 8,6 milhões de espectadores que já assistiram a sequência de Os Vingadores. 

Nosso convidado Anderson Costa, super fã de quadrinhos e especialista no Universo Marvel, já tinha dado sinais de que seria assim. Como ele, Monise Reis, outra convidada do @avidaquer, foi ao cinema antes da estréia e deixou sua opinião. 

Confira abaixo:

Uma das gratas surpresas de 2015 sem sombra de dúvida é Vingadores 2, a Era de Ultron. Assim como o primeiro, a sequência não deixa a desejar com altas doses de heroísmo, Stan Lee (criador e criatura unidos), cenas de tirar o fôlego e o humor costumeiro que só a Marvel consegue imprimir. Joss Whedon faz bonito e encerra sua passagem com chave de ouro, deixando para trás mais do que uma obra irretocável, um legado para todos os fãs da franquia, que assim como eu, se surpreenderam a cada cena.

  
Além dos heróis conhecidos do grande público, surgem os irmãos Pietro e Wanda Maximoff, respectivamente Mercúrio e Feiticeira Escarlate, que já fizeram parte da Irmandade dos Mutantes e da segunda formação da equipe Vingadores (Já tivemos Vespa e Homem-Formiga, entre outros. Torcendo aqui para que entrem mais personagens clássicos). O homem mais rápido do mundo e a garota com poderes sobrenaturais já seriam motivos suficientes ir ao cinema. Mas para apimentar ainda mais, entra em cena Ultron, um vilão clássico, conhecido por muitos nerds e seguidores da editora, que a cada dia tem se firmado nas telas e mostrado a que veio.



Mas o que Vingadores: Era de Ultron tem de diferente? 

    
Todo herói tem fraquezas e medos, por maior que seja seu poder. E até mesmo o mais poderoso deles em algum momento se questiona quanto a sua condição. O resultado? Uma equipe dividida entre medos e anseios, roteiro surpreendente e um final memorável.

Valeu a pena? Muito.


O “Cabeça de Teia” aparece nas cenas pós-credito? Assista e descubra 😉

Vingadores: Era de Ultron da Marvel é estrelado por Robert Downey Jr., que retorna como Homem de Ferro, ao lado de Chris Evans como Capitão América, Chris Hemsworth como Thor e Mark Ruffalo como Hulk. Ao lado de Scarlett Johansson como Viúva Negra e Jeremy Renner como Gavião Arqueiro, e com o apoio adicional de Samuel L. Jackson como Nick Fury, Don Cheadle como James Rhodes/Máquina de Combate, Cobie Smulders como agente Maria Hill e Stellan Skarsgård como Erik Selvig, a equipe precisa se reunir para derrotar James Spader como Ultron, um terrível vilão tecnológico que busca a extinção da raça humana. No caminho, eles terão que enfrentar dois misteriosos e poderosos novatos, Wanda Maximoff, interpretada por Elizabeth Olsen, e Pietro Maximoff, interpretado por Aaron Taylor-Johnson, e encontrar um velho amigo em uma nova forma quando Paul Bettany se torna o Visão.  


Estatísticas