O que se ganha com a academia #bemestar

É verdade, estou me ensaiando para fazer como a @smiletic e voltar para academia. Larguei há um tempo e a inércia tem me deixado em casa, apesar de eu saber da necessidade de fazer exercícios físicos com assiduidade. O que andou me animando foram relatos que ouvi de pessoas que voltaram a treinar. E aí penso: não é que as razões estéticas percam importância no retorno à academia, mas, no meu contexto de vida, só elas não bastam. O desafio é conseguir ir além do óbvio.

Minha vizinha está fazendo uma grande academia, daquelas com jeito de clube, onde é possível encontrar muitos motivos para ter vontade de se exercitar. E achei na web umas dicas de de professores de academias assim para animar quem está pensando em recomeçar como eu:

  • No pique do calendário: as academias estão sempre de olho nas festas mais importante, carvanal para sambar, Páscoa para perder o que os chocolates nos deram e etc
  • Bom humor: exercícios físicos liberaram hormônios de bem-estar e o bom humor também surge com o astral do ambiente descontraído e animado
  • Auto-estima: os professores garantem que antes que os resultados comecem a aparecer, você já sente mais confiança em si mesmo e também comemora a força de vontade por ter começado a treinar
  • Menos timidez e mais amigos: gostei da frase: “na academia, a vergonha de pedir ajuda tem que ficar trancada no armário”. Com o tempo, você vai perceber que nem é tão difícil se aproximar das pessoas, tanto dos instrutores quanto dos colegas de academia
  • Cabeça descansada: enquanto se exercita, você cansa o corpo e descansa a cabeça das atribulações do dia a dia

E aí, gente, precisa mais? Eu já fiquei convencida, dá vontade de me matricular hoje mesmo!

P.S. E para me tirar da inércia, vou seguindo as dicas do personal trainer @kleincarlos para driblar a falta de vontade de malhar (segundo ele, treino na academia deveria receber o mesmo tratamento que uma reunião de trabalho. Se for preciso, programe-o na sua agenda).

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook