Dica de livro: O que fazer com essa liberdade toda?

o-que-fazer-com-essa-liberdade-toda

Uma análise do comportamento afetivo da geração millennial e perspectivas para o amor no futuro. Esse é o mote do livro “O Que Fazer Com Essa Liberdade Toda?”, de Ligia Marques e Rubens Ewald Filho. Ela, que já nos deu a honra de escrever textos como convidada no blog, é autora de diversos livros que pensam e orientam nossa postura diante do mundo ultra conectado que vivemos, com destaque para SEM-NOÇÃO (Editora Matrix), Os 7 Pecados do Mundo Corporativo (Editora Vozes/Selo Nobilis), Etiqueta 3.0 Você On-line e Off-line (Editora Évora- Selo Generale).

Do universo corporativo…

Twitter: Follow Back e Engajamento (com a colaboração de @ligiamarqs)

Ao familiar…

Espionar os filhos é a solução? (com a colaboração de @ligiamarqs)

Lígia tem debatido e pensado sobre nossa vida digital há muitos anos.

Ela me contou que “O Que Fazer Com Essa Liberdade Toda?” nasceu da ideia de se produzir uma releitura do livro “Amor Líquido” de Zygmunt Bauman, que faleceu durante o término do processo de revisão deste trabalho.

Adoramos Bauman, então imaginem como o livro nos interessou!

As amizades de internet são descartáveis?

Por se tratar de um tema de interesse para todo tipo de público e nem sempre a linguagem original ser acessível a esta gama toda de leitores, Ligia tinha como projeto inicial apenas “traduzir” o Amor Líquido para uma linguagem mais simplificada. Com o decorrer do processo da escrita, no entanto, ela optou por incluir outras nuances sobre os relacionamentos afetivos do século XXI, saindo do espectro exclusivo proporcionado por Bauman.

Para situar melhor o leitor, o livro começa com uma pequena retrospectiva histórica que mostra as condições emocionais em que se encontrava o Homem no século XX e que possibilitaram, portanto, as mudanças que ora presenciamos em sua lida com o outro, principalmente no que se refere aos relacionamentos amorosos.

O leitor mais observador perceberá que Bauman está presente em grande parte da leitura, se não referenciado explicitamente, também em trechos e ideias que aparecem no original Amor Líquido.

o-que-fazerLigia explica:

Há um debate velado, mas provocador, sobre os modos em que se dão os relacionamentos afetivos hoje. Apresenta-se ao leitor os prós e contras de uma sociedade de consumo onde o amor tornou-se também um produto a ser adquirido, usado e descartado quando não mais fizer sentido para qualquer uma das partes envolvidas na relação.

A linguagem, como pensada originalmente, é leve e informal, fazendo com que o leitor se desprenda dos grilhões de uma literatura mais erudita em termos sociológicos, podendo se dedicar apenas a refletir até onde se identifica com cada situação exposta.

Para tornar o livro ainda mais legal e a reflexão mais próxima do cotidiano da gente, o livro traz sugestões de filmes para que o leitor assista e faça as devidas correlações com o texto.

Cada filme, sugerido pelo renomado crítico de cinema e colaborador Rubens Ewald Filho, deverá completar a reflexão pessoal que se produz durante a leitura do livro.

Legal, né?

Eu adorei!

 

Ficou curioso? Deu vontade de conversar com os autores? Eles estarão no Bar Exquisito (Rua Bela Cintra, 532, São Paulo) nesta noite, das 19h às 22h, para o lançamento oficial e bem informal do livro. Confirme sua presença no evento.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.