O que é a celebração das “datas especiais”? Um momento para reforçarmos os sentimentos ou para expiarmos culpas do ano que passou?

  
Saí um pouco do meu lado mulherzinha e pensei sobre essa frase de Mark Twain.

De fato, o que é a tal celebração das “datas especiais”? Um momento para reforçarmos os sentimentos ou para expiarmos culpas do ano que passou?

Quem não sente que “está em falta” não precisa “se redimir”, concordam?

Eu vivo cada dia (e noite), do modo mais especial que posso, com naturalidade e como (se) desejo, talvez seja por isso as datas especiais sejam menos importantes para mim do que parecem ser para a maioria.

😉 

P.S. Esse trecho estava no livro “A garota exemplar”, de Gillian Flynn. 

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.