O que as crianças querem ser?

20121116-183026.jpg

No Ensino Médio estudei numa das principais escolas técnicas federais do país, o CEFET-PR. Escolhi fazer Edificações porque queria ser arquiteta, imaginem só! Quatro depois, ao me formar, percebi que não nascera para fazer projetos e acompanhar obras. Muitos outros colegas mudaram de área e pouquíssimos perseveraram. Mas quem o fez e se optou pela engenharia está muito bem.

Lembrei disso quando vi uma notícia hoje com resultados de uma pesquisa realizada pela rede social profissional LinkedIn. Quinze países participaram do estudo, entre eles, Brasil, Estados Unidos e Canadá. Curiosamente, nada de profissões como “astronauta”, “jogador de futebol” ou “cantor”: 7,7% dos entrevistados queriam ser engenheiros quando pequenos.

A explicação do LinkedIn é que a profissão é extremamente popular na Índia, um dos países participantes e um dos mais populosos (e exportador de mão de obra) no mundo. Para muitos, ter o emprego sonhado na infância não foi possível, mas 21% dos 8 mil profissionais do levantamento conseguiram, ao menos, trabalhar em uma área relacionada. E o que fez com que os outros 70% mudassem de ideia ao longo da vida? “Ter outros interesses com o passar do tempo” é a resposta que ficou em primeiro lugar, com 43,5%.

Quando criança eu quis ser professora, psicóloga e depois arquiteta. Mas relembrando das brincadeiras e depois dos testes vocacionais (fiz uma bateria de testes multidisciplinares aos 14 anos), percebo que trabalhar escrevendo e compartilhando ideias era muito mais o meu papel. Sem falar no ativismo, que acabo fazendo até hoje.

E você, seguiu os impulsos de criança ou trilhou um caminho totalmente diferente? 

Confira abaixo as 10 profissões mais desejadas pelas crianças. Será que as crianças atuais sonham com estas carreiras?20121116-173824.jpg

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook