“O pedestre passa a ser uma raça vil e desprezível, cuja única função é atravessar a ruas”

dave-grohl-foo-fighters-walk

Hoje cedo li duas coisas no meu Facebook. Minha irmã, que mora em Niterói (RJ), reclamando da falta de educação dos motoristas e um artigo da Revista Inovação Brasileiros ( =”Só de Bike”) no qual Sérgio Crusco cita uma frase de Monteiro Lobato de 1920, que reflete sobre a “curiosa mentalidade que o automóvel ocasiona. O pedestre passa a ser uma raça vil e desprezível, cuja única função é atravessar a ruas. Quando estropia um pedestre, a sensação do rodante é de que liberou o mundo de um embaraço“.

A pessoa que compartilhou a frase lembrava deste vídeo do Pateta:

E se uns lembram do Pateta como Senhor Walter, eu lembrei de um clipe do Foo Fighters inspirado no filme Um dia de fúria! Quem nunca se sentiu transformar em outra pessoa depois de um tempo parado no trânsito? Nesta hora a gente pensa que precisa rever os conceitos e recriar a própria vida: mudar de emprego, de casa, de meio de locomoção, enfim, fazer alguma coisa que “roube menos” duas coisas preciosas: a serenidade e o tempo de vida!

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook