O mundo mais bonito que nossos corações sabem ser possível

“Em um tempo de crise social e ecológica, o que nós, enquanto indivíduos, podemos fazer para tornar o mundo um lugar melhor?”

Essa pergunta, feita por milhares de pessoas diariamente, é uma das que orienta O mundo mais bonito que nossos corações sabem ser possível, o primeiro livro do conferencista e escritor norte-americano Charles Eisenstein a ser lançado em português.

Eisenstein graduou-se em Matemática e Filosofia pela Universidade Yale em 1989 e se dedica aos temas de civilização, consciência, dinheiro e evolução cultural humana. Seus vídeos virais e textos online fizeram dele um filósofo social e um intelectual da contracultura que não pode ser facilmente rotulado. Morou na China por dez anos, trabalhando como tradutor do chinês para o inglês. É autor também de Sacred Economics (Economia Sagrada) e Ascent of Humanity (A Ascensão da Humanidade). Vive hoje em Camp Hill, Pennsylvania, Estados Unidos.

Com um estilo de vida e produção intelectual baseados na chamada gift economy – algo como “economia da dádiva” –, Eisenstein se descreveu como um “ativista e teórico do decrescimento” em entrevista ao jornal britânico The Guardian (aqui, em inglês). Segundo o autor, em uma economia baseada na dádiva, a força de trabalho é orientada por incentivos intrínsecos (como paixão) e não extrínsecos (dinheiro e lucro, por exemplo), como ocorre na economia tradicional. Eisenstein argumenta que, em uma sociedade assim, “quanto mais o indivíduo dá, mais rico ele se torna”.

Pela primeira vez no Brasil, Eisenstein fará o lançamento e sessão de autógrafos de O mundo mais bonito que nossos corações sabem ser possível hoje, no dia 22 de novembro, às 19h, no Sesc Vila Mariana.

Antes, o autor participará de uma palestra com o tema Repensar o mundo: as transformações econômicas, políticas e pessoais, da qual também participarão o médico sanitarista Eduardo Jorge e a socióloga Rita Mendonça.

Em 36 capítulos de O mundo mais bonito que nossos corações sabem ser possível, Eisenstein mostra como as atividades humanas são guiadas por histórias orientadoras. Segundo ele, a civilização moderna estaria deixando para trás o que chama de “História da Separação” para entrar na “História do Encontro”. Ao reconhecer que tudo está conectado, Eisenstein argumenta que cada pessoa pode ser um agente mais efetivo de mudança e ter influência positiva no mundo, não importa quão aparentemente pequena e pessoal possa parecer sua ação.Em 36 capítulos de O mundo mais bonito que nossos corações sabem ser possível, Eisenstein mostra como as atividades humanas são guiadas por histórias orientadoras. Segundo ele, a civilização moderna estaria deixando para trás o que chama de “História da Separação” para entrar na “História do Encontro”. Ao reconhecer que tudo está conectado, Eisenstein argumenta que cada pessoa pode ser um agente mais efetivo de mudança e ter influência positiva no mundo, não importa quão aparentemente pequena e pessoal possa parecer sua ação.

Para o autor, a narrativa de separação, que guia a nossa cultura, tem gerado as presentes crises econômica, social, política e planetária. Ele convida o leitor a abraçar um entendimento radicalmente diferente de causa e efeito, soando um alarme para rever pressupostos mecanicistas e criar o mundo mais bonito que nossos corações sabem ser possível. Assim, a obra inspira e provoca reflexões que funcionam como um poderoso antídoto para o cinismo, a frustração, a paralisia e a opressão que muitos sentem na vida contemporânea.

Não pode ir na palestra? Inspire-se nos vídeos:

The more beautiful world our hearts know is possible (com legendas em português):

A New Story of the People, TEDxWhitechapel:

The Gift of Happiness, TEDxNewHaven:

Sacred Economics:

Serviço:

  • O mundo mais bonito que nossos corações sabem ser possível
  • Editora: Palas Athena Editora
  • ISBN: 978-85-60-804-31-3
  • Formato: 16x23cm
  • Lançamento: 22 de novembro
  • Palestra: Repensar o mundo: as transformações econômicas, políticas e pessoais
  • Data: 22 de novembro de 2016, às 19h
  • Local: Sesc Vila Mariana – Rua Pelotas, 141 – Vila Mariana
  • Informações: http://charleseisenstein.strikingly.com/
Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.