O legado do @vozdacomunidade #avozdoalemão

20130814-212555.jpg

Hoje Renê Silva (@rene_silva_rj) lança no Rio o livro com a historia do Voz da Comunidade, um projeto colaborativo de comunicação que criou aos 11 anos e que ressignificou não só sua comunidade, a do Complexo do Alemão, como criou um novo conceito de Educomunicação e Midialivrismo entre os jovens brasileiros.

O lançamento de A Voz do Alemão (editora nVersos), escrito em parceria com a jornalista Sabrina Abreu, acontece hoje no Rio de Janeiro, dia 19 em São Paulo, e 26 em Belo Horizonte.

Conheça a história:

“Com apenas 11 anos, o menino Rene Silva foi à diretora da sua escola, no Complexo do Alemão, e pediu para criar um jornal em sua comunidade. Depois de tanto insistir, conseguiu criar – sozinho – o Voz da Comunidade, em 2005, para falar sobre os problemas e necessidades dos moradores do Morro do Adeus, no Rio de Janeiro, onde mora até hoje com a mãe e irmãos. Oito anos depois, o jornal cresceu e conta com 40 voluntários, e agora, toda a história de Rene foi contada no livro A Voz do Alemão (editora nVersos), escrito em parceria com a jornalista Sabrina Abreu, com lançamento no Rio de Janeiro dia 14, na livraria da Travessa do shopping Leblon, dia 19 em São Paulo, e 26 em Belo Horizonte. A publicação conta a história do Complexo através do jornal de Rene, que ganhou visibilidade depois de um tuíte no qual o rapaz falava sobre a movimentação dos traficantes do Alemão no dia anterior à ocupação policial no local, em 2010. Rene ficou famoso e todos os jornais nacionais começaram a bater em sua porta para entrevista-lo. O menino até virou personagem da novela Salve Jorge, de Glória Perez – o Alemão foi cenário de um dos núcleos do folhetim -, uma das responsáveis em divulgar as peripécias do moço durante a ocupação do morro.”

E leia a entrevista de Renê para a Época:

Como surgiu a ideia do livro?
Quando a Sabrina Abreu veio ao Rio (ela mora em Belo Horizonte) fazer uma reportagem comigo sobre o jornal e a invasão da polícia no Morro do Alemão em 2010. Ela disse que a minha história daria um livro e, no ano passado, decidimos escrever. Ela começou a vir ao Alemão e conversar com a equipe do Voz da Comunidade e todas as pessoas que influenciaram no processo, os moradores que dão voz ao Complexo. O objetivo sempre foi mostrar os problemas sociais da comunidade através de eventos culturais e sociais. A grande mídia não conseguia mostrar tudo antes da pacificação.

Qual a importância da Internet em sua vida?
Voltamos com a versão impressa em setembro porque ficou um tempo parado por causa da Internet. No online conseguimos resolver muito mais rápido os problemas sociais e a abrangência é bem maior.

O que terá de novidade na nova versão?
Teremos colunas sociais, esportes, tudo voltado para a comunidade. A ideia é convidar várias pessoas de dentro da comunidade para serem colunistas e, para chamar mais atenção, vamos trazer um artista convidado e fazer talk shows, debates e outros eventos. Geralmente pessoas que apoiam o Voz, como as atrizes Katiuscia Canoro (a Lady Kate, de Zorra Total) Roberta Rodrigues, Fabiula Nascimento, Fabiana Karla, entre tantas.

O que mudou no Alemão depois de Salve Jorge?
Principalmente a visão das pessoas de fora e a autoestima dos moradores. A Glória falou em entrevistas sobre o Morro, ela pensou no Voz porque foi como ela conheceu na época da invasão e mostrou a outras comunidades que elas podem ter voz. Depois da novela minha vida mudou em muitas coisas. As pessoas começaram a olhar diferente para o Voz. O Complexo é muito grande e muitas pessoas de dentro da comunidade ainda não o conheciam.

E você ficou famoso e virou amigo de celebridades?
Aqui na minha comunidade sim (Morro do Adeus), mas as pessoas não pedem para tirar fotos, mas quando vou a outros lugares sou reconhecido também e geralmente me parabenizam pelo trabalho. Tenho que tomar muito cuidado com o que publico porque virei um exemplo para outras crianças. Tenho uma página pessoal no Facebook com 10 mil seguidores e cinco mil amigos, já na página do jornal são 13 mil. O Twitter do Voz tem hoje 124 mil seguidores e o meu perfil 57 mil. Quanto aos famosos, tudo aconteceu em 2010. Conheci a Regina Casé através do Twitter e ela começou a me seguir e enviar mensagens na época da invasão; conheci a Glória antes da ‘tomada’ do morro, mas depois ela passou a acompanhar direto; a Preta Gil é muito minha amiga e contribuiu de diversas formas. Todos os Natais ela faz show e distribui cestas básicas e faz uma doação ao Voz através do Bazar da Preta.

O Alemão hoje em dia é um lugar tranquilo?
Está muito tranquilo, até porque o número de turistas que visitam o lugar depois da novela é muito grande.

Pretende sair daí um dia?
Até o momento não penso em sair do Alemão, mas se tiver a oportunidade, gostaria de morar na parte mais baixa do morro.

20130814-205747.jpg
P.S. A foto, na qual estou com Rene e sua mãe, é um registro do dia em que conheci este menino inspirador, meigo e boníssimo, em janeiro de 2011, durante uma Campus Party.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook