entretenimento / mãe

“O futebol, empolgou-me de corpo e alma;
escrevo crônicas de futebol e jogo.
O futebol apaixona e contunde”.
Monteiro Lobato


Na quinta-feira fui pegar os meninos na aula extra de desenho e lá estavam os dois no pátio trocando figurinhas do Album da Copa. Vi alguns meninos novos em clima de camaradagem com os meus filhos e, ao perguntar para o mais velho quem eram, fiquei sabendo que são alguns dos novos amigos que fizeram só por causa da Copa e das trocas.

Uma das coisas que tenho comprovado, tanto em casa quanto na escola dos meninos, é o poder da Copa do Mundo na união do brasileiro. Todo mundo fica mais amigo, se entende melhor, encontra assunto para conversar, alguma figurinha para trocar ou expectativa para vivenciar junto.

E como recebemos o convite para um evento de lançamento do livro O presente, de Odilon Morais (Editora Cosac Naify), começamos a relembrar de vários livros que tratam de futebol sob o ponto de vista infantil – ou familiar. Em O Presente, as ilustrações que narram a história de um garoto que, em tempos de Copa do Mundo, vive momentos de alegria, frustração e surpresa, lembram a todos as partidas de futebol de pais e filhos e da cumplicidade nas instruções na beira do gramado.

Uma autora que nós adoramos sobre o tema é da querida Ruth Rocha, com Marcelo Marmelo Martelo (disponível aqui) querendo saber porque bola se chama bola e não chama quadrado! E a menina Joana, irmã do Pedro, de Faca Sem Ponta Galinha Sem Pé, que deixava seus pais seu Setúbal e dona Brites incomodadíssimos porque gostava de jogar futebol quando isso não era coisa de menina? Seria ela a solução no confronto do Estrela D’Alva Futebol Clube contra o Sai da Frente Esporte Clube na Decisão do Campeonato?

No novo Almanaque do Sítio de Monteiro Lobato a figura na capa é Emília, provando que as meninas ganharam espaço no futebol até no Brasil – porque em outros países, como EUA, elas já são fortes. Mas em Minha Vida de Goleiro, Luiz Schwarz relembra uma realidade mais próxima da infância dos pais atuais: Luiz, o menino sem irmãos, espalhava na mesa da sala seus times de futebol de botão e, com a força da imaginação, representava todos os papéis necessários a uma grande partida. No início, queria ser centroavante, mas um dia descobriu que tinha vocação para goleiro. Goleiro? Sim, no Brasil tem lugar para todos, como vejo ao ouvir nomes da Copa de 1994, inclusive o do famoso goleiro do Tetra Taffarel.

A opção para os pecorruchos é Jogadores de Futebol, da Coleção do Barulho (Editora Ladybird Books), que, à moda da torcida da África do Sul, gosta de barulho: tem um botão sonoro por página, inclusive na capa (com 9 sons diferentes no total). E para os maiores, que já estão no auge das trocas de figurinhas e querem saber tudo das seleções, a dica é o livro O Mundo das Copas: As Curiosidades, os Momentos Históricos e os Principais Lances do Maior Espetáculo do Esporte Mundial, de Lycio Vellozo Ribas (Editora Lua de Papel). Descobri-o outro dia e me surpreendi ao ver que o autor é um ex-colega de faculdade de jornalismo, certamente alguém que foi um menino fanático por futebol.

Ele, como outros pais e mães, viveram o que Odilon Morais colocou em palavras como O Presente:

“Das primeiras brincadeiras dos ainda bebês de chutar a bola, por vezes com camisas de clubes maiores do que eles próprios, até a emergência para muitas crianças da paixão incondicional por seu time, temos uma das mais complexas formações, e formação de compromisso, que a cultura e a sociedade brasileira foram capazes de produzir.”

Que tal reviver estas emoções em família neste período?

[Todos os domingos um dos textos que fiz para o Mãe com filhos é republicado nesta seção]

Você pode gostar também de ler:
Uma amiga me pediu um indicação para comprar um livro de presente pro afilhado que
O editorial desta semana do Mãe com filhos trata de um dos temas mais caros na
Quantas vezes você ouviu alguém dizer: se tiver um limão, faça uma limonada. Referindo-se à
"Global warming is threatening the long term existence of polluting courier planes, trains and automobiles,
É com imensa alegria e orgulho que apresento aqui um novo projeto que meu filho
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas