O brincar é algo que também se aprende

Porque se sujar faz bem - e brincar também!

Semana passada comentei sobre  meu aprendizado de brincadeiras de meninos. Estou lendo um livro interessante que estuda a questão lúdica , A Descoberta do Brincar (Maria Angela Barbato Carneiro e Janine J. Dodge, Editora Melhoramentos, 2007.). São tantas as descobertas que faço lá que estou reaprendendo a ser lúdica. O brincar é algo que também se aprende e por isso a criança gosta tanto da companhia de adultos e crianças de idades diferentes para brincar (porque aprende e ensina). “Brincar faz parte da educação do ser humano. Através do brincar as crianças aprendem a cultura dos mais velhos, se inserem nos grupos e conhecem o mundo que está ao seu redor.”, afirmam Maria Angela Barbato Carneiro e Janine J. Dodge.

Na viagem de volta das férias meus filhos vieram criando histórias. Como repentistas, faziam uma “competição” saudável sobre os amigos imaginários que traziam no carro conosco: Giorgio tinha um carro feito com folhas de galhos de árvore no qual viajavam três flores e um bebê limão. Enzo imaginou flores carnívoras que protegiam nosso carro. E ao chegar em casa eles não aguentavam de ansiedade para colocar as criações em telas de pintura e em esculturas de massinha de modelar. Pensei comigo: que criativos! E lembrei que a palavra vem de creator-creatoris, origem latina também de criança, o ser humano de pouca idade. E no processo criativo a criança aprende a conhecer, a fazer, a conviver e a ser. 😉

Aí no final de semana passado eles finalmente fizeram umas experiências com masssinha e pintura, como podem ver nas fotos. Foi uma bagunça, atender os dois me cansou mais do que meu trabalho cansa, mas o resultado – a alegria deles e o orgulho pelas obras criadas – compensou tudo.

Em tempo: A Lu Brasil também recebeu o livro de presente e já contou aqui como gostou. 😉

P.S. Especialistas preferem usar a expressão “atividade lúdica” para falar de brincadeira, mas a expressão acaba se referindo mais ao jogo. A palavra ludus bem do ladim e designava jogos infantis, movimento, ligeireza e divertimento. Já pensaram que brincar e jogar estão na mesma palavra em inglês (play), francês (jouex) e alemão (spielen)?

[update] Várias mães blogueiras escreveram sobre o tema: Blog da Evellyn,  Blog do Rafa e da Julia (Mic), Aline DexheimerRenata MatteoniBlog da Ti (Tiffany)Ana Cláudia BessaCybele MeyerLu BrasilZ de Zebra(Andréa),  Colorida Vida (Ana Paula)Viva o barrigão! (Ju)! e Guilherme e seu mundo de descobertas (Lúcia) e meu post inicial. Compartilhe você também histórias de como incentiva os momentos de brincadeiras das suas crianças comentando abaixo ou escreva um post no seu blog (e não se esqueça de enviar o pingback ou avisar aqui!). [/update]

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, casada, mãe de 3, jornalista no @avidaquer @maecomfilhos @biblianafamilia.

Comentários no Facebook