Nossa família no “Hoje é dia de… Museu”, quadro do programa Como Será? da @rede_globo

IMG_0954.JPG

No meio do ano recebemos um contato telefônico super simpático nos contando da reformulação de programas educativos, como Globo Universidade, Globo Ciência e Globo Ecologia.

Era também um convite para que nossa família acompanhasse um passeio experimental pelo Catavento Cultural e Educacional.

Aceitamos na hora, afinal, visitamos exposições com os filhos desde pequeninos – Manu esteve na Pinacoteca com poucos meses e, por exemplo, visitou o Abapuru no Malba ainda antes de engatinhar. Aliás, em Buenos Aires adoramos o Museu “Proibido Não Tocar” no Centro Recoleta, que lembra muito o Catavento. Preciso parar e escrever um post sobre ele!

Mas voltando ao nosso dia de família no museu para a Globo…

IMG_0946.PNG

O programa “Como Será?” é uma parceria do Jornalismo e da área de Responsabilidade Social da Globo com a Fundação Roberto Marinho, e tem como objetivo compartilhar com o público experiências transformadoras, exemplos de cidadania e colaborar para a construção de um futuro melhor ao tratar de maneira integrada temas como educação, ecologia, mobilização social, trabalho e inovação. É um espaço para apresentar, conhecer e incluir pessoas e ideias, que conta com a interatividade como grande aliada. O programa, que ocupa a faixa das 6h às 8h nas manhãs de sábado na Globo, é reprisado na GloboNews e no Canal Futura, aos domingos, às 06h05 e às 15h, respectivamente.

Então quem quiser nos ver na TV, no domingo, 23/11/2014, 15h, tem reprise no Futura do programa que foi ao ar no dia 22/11/2014, no programa Como Será?, mostrando as experiências de Giorgio e Manuela com o repórter Alexandre Henderson, no quadro Hoje É Dia de… Museu de Ciências.

IMG_0947.PNG

IMG_0948.PNG

IMG_0949.PNG

IMG_0950.PNG

Nos divertimos muito juntos no museu que tem exposições interativas sobre o universo, a vida e a sociedade. No mesmo programa será possível ver também o projeto Ciência Móvel do Museu da Vida, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, provando que é possível aprender e se divertir ao mesmo tempo. O quadro destaca ainda a formação dos monitores dos museus e promove um bate-papo entre crianças e o astronauta brasileiro Marcos Pontes.

IMG_0951.PNG

No estúdio, a apresentadora Sandra Annenberg transforma o cenário do programa em um laboratório de experiências científicas.

Outro destaque desta semana é a estreia da série ‘O Valor do Lixo’, que vai explicar de que maneira detritos secos, como o plástico, podem gerar renda, matéria-prima e ainda preservar o meio ambiente. À frente das reportagens, o jornalista Rogério Coutinho conversa com Sandra sobre os bastidores das gravações e adianta o que os espectadores podem aguardar para os próximos episódios. Para o Expedição Terra, Max Fercondini vai até Ravena, em Minas Gerais, onde conhece um projeto que incentiva o uso do bambu na construção de casas, móveis e na recuperação de áreas degradadas.

A entrevista da semana é com Teresa Amaral, Superintendente do IBDD – Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência –, que fala sobre a inserção no mercado de trabalho. Em ‘O Tema É’, o especialista em educação financeira Fly – também consagrado como dançarino e coreógrafo – vai tirar dúvidas do público sobre finanças pessoais. O programa exibe ainda reportagens sobre o Draft, site que reúne novos e criativos empreendedores, e a Khan Academy, ONG educacional com uma plataforma virtual que tem o objetivo de fornecer educação de qualidade a qualquer pessoa. O ‘Profissões do Futuro’, por sua vez, esclarece o que faz e como trabalha um especulador de moedas alternativas e virtuais.

No Meu Professor É o Cara, André mostra como suas aulas de Física são um verdadeiro acontecimento para os alunos, enquanto o Qual Vai Ser? acompanha as dúvidas profissionais de Nicole – que não sabe se quer estudar Música, Astronomia ou Meteorologia – e o Nós.doc abre espaço para Joacob Orhai, fotógrafo americano que vive em Aracaju e, todo ano, realiza oficinas com jovens de comunidades periféricas.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook