Neil Young (com colaboração de @zeoffline) #avidaquerNoSWU

Uma das maiores expectativas que eu tinha acerca do Fórum Global de Sustentabilidade do SWU Brasil era a presença de Neil Young. Sempre respeitei seu trabalho e, recentemente, ao saber das suas posturas ligadas em sustentabilidade, passei a encontrar ainda mais afinidade com este artista canadense que não resolveu mudar o mundo, mas é um exemplo incrível em vários detalhes de sua vida.

E, no final das contas, é o tal testemunho de vida que conta mais quando tentamos deixar uma “obra”, um recado para a posteridade, não é mesmo? A despeito da genialidade, todos lembram da vida privada, dos sucessos e das mazelas dos grandes artistas.

Neil não nos decepcionou. Foi recebido com uma canção brasileira, que se tornou comum também nos EUA, onde mora, felicitando-o pelo aniversario. Sim, o cantor e ativista faz aniversário hoje e aqui no SWU com a gente. Quem toca a canção singela (Parabéns pra você), composta por uma brasileira e adotada em alguns idiomas, eram os jovens da “orquestra” Projeto Guri. O artista recebeu o carinho, surpresa planejada e contada (apenas em português por Fischer, idealizador do festival, no discurso de abertura do fórum), mas nos convidou para fazermos mais: cantamos com ele um parabéns para ao planeta Terra.

Ele preferiu homenagear o Planeta e foi lindo. Neil Young, 66 anos, diz que já viveu muito, mas não estará aqui por muito tempo. Em sua fala, recheada de momentos muito humanos, ele dizia que “pode parecer chato ou que nada está acontecendo, mas tem muita coisa acontecendo aí fora (no que diz respeito à sustentabilidade). “Estamos todos mundo aqui reunidos, depende de cada um observar a si mesmo e não outra pessoa.” Enfatizando que “starts with you” (começa com você, lema do SWU), ele lembrou que “depende da gente salvar o planeta e cuidar de nós mesmos. Somos os seres mais inteligentes desse planeta!”, brincou.

Relembrando a infância no Canadá, ele comentou que “as coisas foram mudando à medida em que eu crescia. Cadê os pássaros que eu via quando voltava pra casa durante o colegial?”. Emocionado, disse que na sua chegada em São Paulo não viu pássaros – e eu diria, não foi à Mooca, lá ouço sabiás em todo amanhecer! – e contou que perguntava pra moça ao lado e ela não sabia responder. “Pra onde eles foram, por que eles se foram?”, perguntava.

20111112-220013.jpg

Em seguida, assumindo uma postura de “tio” disse: ” é uma boa coisa ficar pensando o tempo todo sobre o que estamos fazendo. It starts with you, it’s too late for me. (começa com vocês, já é muito tarde para mim)”. Em seguida, entrando no tema do primeiro debate, sobre Energia e Clima, comentou que “com tanta energia disponível no mundo, com os estudos de biologia, matemática e física, a resposta é pronta sobre como sustentar essas energias disponíveis ou encontrar novas. Alguns países como Estados Unidos e Canadá são fracos ao pensar como extrair energia. Mas no Brasil temos em abundância essa sabedoria de usar energia, como o etanol, mas precisamos ser cautelosos e sem ganância para preservar esses recursos naturais.”

Nos EUA eles criticam obetanol porque eles comem milho – e Neil ressaltou que (se optassem por fontes combustíveis mais limpas) “não comeriam desperdício de comida, usariam para criar energia renovável”.

E, por fim, um conselho do mestre que não deixou de viver, mas adaptou seu estilo de vida para se tornar mais amigo do Planeta:

“Comece adotando posturas simples de pensar na preservação do planeta, como por exemplo: o que comprar? Vocês são jovens e podem absorver com mais facilidade as novidades. Não me ouçam, sou velho e já tenho minha própria educação, meus vícios, sou mimado e habituado ao conforto.”

Para pensar e adotar no cotidiano:

“Pense em comprar coisas locais, do Brasil. Pense quando comprar algo importado no custo de transporte para trazer aquele produto. Pense na economia de combustível. Escolha um produto natural que você pode comprar aqui do lado, do que comprar lá fora, do outro lado do mundo – mesmo que seja biocombustível.”

Vamos pensar juntos?

Eu e José Luiz Brandão ( @zeoffline, que está fazendo a cobertura colaborativa do Fórum Global de Sustentabilidade SWU na equipe do @avidaquer e fez as anotações, direto do inglês, para este post) já pensamos muito. Venha com a gente. Vamos pensar juntos em um mundo de possibilidades!

Acompanhe o Fórum Global de Sustentabilidade conosco! #avidaquerNoSWU http://t.co/wPDNDNCO

E você pode ver os videos, de tudo que acontece aqui no SWU (e ao vivo) no Facebook, acesse www.Facebook.com/swubrasil.

[update]

Neil Young lançou no evento seu documentário “Get Around” sobre um carro elétrico viajando pelos Estados Unidos. Veja o trailer abaixo:

[/update]

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook