Narratividade: Literatura & Quadrinhos no CCSP

Na segunda, na minha “passadinha” pela loja da Editora Abril, comprei dois exemplares da Coleção Clássicos da Literatura Disney para os meninos. Eu já tinha até visto a coleção – comemoração aos 60 anos do Pato Donald no Brasil – composta por 20 volumes, com periodicidade semanal, e que traz histórias raras não publicadas há décadas e também aventuras totalmente inéditas por aqui. Segundo li, cada edição traz versões de clássicos da literatura mundial estreladas por Donald, Mickey, Tio Patinhas e dezenas de outros personagens Disney, da paródia da obra de Alexandre Dumas, Os Três Mosqueteiros, aos enredos de O Máscara de Ferro e O Capitão Fracasso e Guerra e Paz, Hamlet, Otelo, Ilíada, Odisseia, A Volta ao Mundo em 80 Dias, A Divina Comédia. Aos 10 Enzo já leu algumas das obras citadas e creio que será bom para ele rever e excelente para Giorgio, aos 7, começar a conhecer e se interessar por estas histórias.

[Eu sempre insisto que para formar bons leitores é preciso respeitar seus interesses e sua faixa etária, né?]

Eis que em seguida descubro que nesta semana acontece um debate – Narratividade: Literatura & Quadrinhos –  cuja proposta é discutir como dialogam essas duas linguagens e como a narrativa se desloca na Literatura e nos Quadrinhos. A conversa acontece com Spacca (cartunista e ilustrador, autor de adaptações de obras como Jubiabá, de Jorge Amado) e Paulo Ramos (jornalista e especialista em literatura e quadrinhos), com mediação e curadoria de Maria Helena Pinho. Dia 16/09, das 19h às 21h, na Gibiteca Henfil do CCSP (rua Vergueiro, 1000, São Paulo, SP).

João Spacca de Oliveira é cartunista e ilustrador. Fez “storyboards” para filmes publicitários no começo da carreira, depois, entre 1985 e 1995, criou charges políticas para o jornal “Folha de São Paulo” e ilustrou o suplemento infantil “Folhinha” por dois anos. Atualmente faz charges para a versão on-line do “Observatório da Imprensa” e para publicações empresariais. Ilustrou , para a “Companhia das Letrinhas”, “O Mário que não era de Andrade”, de Luciana Sandroni; “O jogo da parlenda”, de Heloísa Prieto; “A reunião dos planetas”, de Marcelo Oliveira; e “Vice-versa ao contrário”, de vários autores. Escreveu e ilustrou “Santô e os pais da aviação — A jornada de Santos-Dumont e de outros homens que queriam voar” (vencedor do prêmio HQMIX 2006 nas categorias Desenhista Nacional, Edição Especial Nacional e Roteirista Nacional); “Debret em viagem histórica e quadrinhesca ao Brasil”, e “D. João Carioca — A corte portuguesa chega ao Brasil (1808 – 1821)”, publicados pela Cia. das Letras.

Paulo Ramos é jornalista, professor universitário e integra o Núcleo de Pesquisas de Histórias em Quadrinhos da ECA-USP, além de ser o responsável por um dos blogs mais acessados da internet, o blog dos quadrinhos. Paulo Ramos é autor e co-organizador dos livros: Como Usar as Histórias em Quadrinhos na Sala de Aula, A Leitura dos Quadrinhos, Quadrinhos na Educação: da Rejeição à Prática e Muito Além dos Quadrinhos.

Eu gosto da postura de Paulo Ramos sobre os quadrinhos e a educação, descrita bem nesta entrevista ao GHH:

“Das poucas palestras que tive oportunidade de dar a professores, tenho percebido um comportamento homogêneo por parte deles: desconhecem a linguagem, os autores e as obras em quadrinhos, mas demonstram por ela um interesse sincero. A maioria se restringe ao conhecimento da Turma da Mônica e às tiras de jornal. Quando você mostra que há um volume de obras e de possibilidades muito mais amplo, o docente costuma levar um susto. Muitos dizem que não sabiam que os quadrinhos eram tudo isso, muito provavelmente por ainda terem a visão de que sejam uma forma de leitura exclusivamente infantil e, por isso, menor – o que não passa de um preconceito, como a literatura infantil está aí para comprovar.”

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook