“Cacildis! Já faz tanto tempis!” Saudade do Mussum!

Uma saudade: Mussum.

“No dia 29 de julho de 1994, aos 53 anos, Mussum pirulitou-se desta vida durante uma cirurgia de transplante de coração e deu início a um mito. O homem robusto que falava de forma engraçada e não saía do bar ficaria na mente e na lembrança de quem cresceu com Os Trapalhões na tela ou com o grupo Os Originais do Samba no ouvido.”

Concordo com Marcos Lauro quando diz que na era da internet, ele viria a alcançar um público ainda maior graças ao YouTube.

E neste dia vale um viva pro MussumAlive que nos permite reviver este querido que divertia muito antes do Politicamente Correto. O que começou como uma brincadeira (muito respeitosa, por sinal) de Leandro Santos, virou um movimento em torno da ideia do @MussumAlive ou do que o humorista faria ou falaria.

Este movimento é que me faz pensar que não tem impoliticamente correto, tem um jeito de ser que transcende o nicho no qual desejam nos colocar. As “tags” (etiquetas classificatórias) podem ruir, mas o jeito de cada um não e isso é o que faz o Mussum uma figura divertida e viva, mesmo 20 anos depois.

Dizem que o artista divertia de uma forma que não teria espaço hoje na TV aberta. Será?

E por falar nesta mania de deixar tudo certinho… vale reler:

O politicamente correto está deixando o mundo muito chato?
O politicamente correto não vai estragar a publicidade?

Antonio Carlos Bernardes Gomes, nascido no Rio de Janeiro em 7 de abril de 1941, tinha tudo para ser apenas mais um trabalhador humilde e de vida simples da periferia. Negro de infância pobre, ele viu a solução para sair da mesmice, inicialmente, na carreira militar, ao se alistar na Aeronáutica quando completou 18 anos. Depois, acostumado a frequentar os morros cariocas – e sempre tendo sido bem acolhido pelo círculo boêmio da Mangueira –, Gomes chegou ao samba.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.