cultura web / empreendedorismo

Ontem eu postei no Sucesso News uma tradução livre de um artigo americano de redes sociais para mulheres empreendedoras. Não costumo me considerar empreendedora, sou mais profissional liberal, mas ao ler as características destas figuras eu me identifiquei muito.

Os medos, as conquistas e a qualidade de vida das mulheres nos negócios foram tema de pesquisa – que pode ser lida aqui – na qual Eva Gertrudes Johnatan conversou com 49 donas de variados negócios no Rio de Janeiro e levantou algumas características com as quais até você vai se identificar: a busca por boa qualidade de vida, fundamentada principalmente na satisfação com
o trabalho, com os filhos e com o auto-respeito.
Segundo a pesquisadora,

“Os dados evidenciaram que os múltiplos papéis desempenhados pelas empreendedoras possuem relevância semelhante. A análise qualitativa das entrevistas revelou que as empreendedoras são destemidas e autoconfiantes, embora preocupadas com questões financeiras e com o crescimento das empresas. Autorealizadas, apaixonadas e identificadas com seus empreendimentos, as empreendedoras se percebem num processo contínuo de conquistas.”

E nós somos um grupo em franca expansão, como mostram as pesquisas nacionais, além de estarmos nos firmando como um novo modelo de gestão. Onde estamos? Como resposta ao meu post no Sucesso News, Vany Laubé (aka @mosaicosocial) me deu uma pista, indicando um grupo virtual. Gostei! No Linkedin achei dois grupos brasileiros com esta temática: Mulheres de Negócios e Women in business:

Mulheres de Negócios No qual achei vários contatos de primeiro grau na rede do Linkedin. Novamente Maria Carolina da Kingo Labs, Renata Artacho da RBA Consulting – Fashion, a psicóloga Noeliza Bianchini S. Lima, Vanessa Caldas Chabar da Amomuito.com, Tatiana Tosi da Plugged Research.
MULHERES DE NEGÓCIOS é um grupo que tem o objetivo de mostrar os valores, desafios e histórias inspiradoras de mulheres que trabalham, como empreendedoras ou na iniciativa privada, em qualquer nível hierárquico. O grupo pretende mostrar como são tomadas as decisões em seu ambiente, de forma democrática, inovadora ou motivadora, enfim, como é o mundo das mulheres que trabalham? Como se estabelecem as relações no ambiente de trabalho com funcionários, colegas, clientes, fornecedores? Quais são os assuntos que precisam ser tratados? Quais são os maiores desafios que as mulheres enfrentam no seu dia-a-dia?

Women in business – Mulheres de Negócios
Muito mais que mulheres, somos seres humanos que buscam a igualdade dos direitos. Contudo, devemos sim resgatar alguns valores que algumas mulheres foram perdendo. Não precisamos ser o sexo frágil, mas também não precisamos nos masculinizar. Mulheres, de negócios e com charme!

Você faz parte de algum grupo assim em outro espaço? Gostaria de fazer? Creio que várias mulheres empreendedoras gostariam de trocar ideias e podemos começar por aqui. 😉

P.S. E se ficou curioso com o conteúdo do artigo, ele pode ser lido abaixo.

O artigo, em inglês, perguntava qual é o real poder por trás destas mulheres. E a resposta vinha num estudo do Center for Women’s Business Research que mostrava que atualmente as mulheres são donas de 50% das empresas privadas, as empresárias movimentam U$3 milhões e empregam 16% da força de trabalho nos EUA. Tudo isso faz com que sejam players muito importantes na economia nacional. Se não bastassem os dados citados, 85% das mulheres não acreditam que ser mulher é um elemento que dificulta seu sucesso profissional e 32% acredita que ser mulher lhes ajuda a alcançar o sucesso.Este é o poder das mulheres empreendedoras. Elas sabem que há mais poder quando se trabalha de forma colaborativa, especialmente se entre outras empresárias. E não importa se o produto ou serviço ofertado é exclusivo para o público feminino, é impossível negar a tendência que as mulheres têm de apoiar umas às outras nos negócios e promover as causas umas das outras. Pois é, dizem que mulher não confia uma na outra e que não são boas amigas, mas no mundo dos negócios elas estão provando o contrário – e eu vejo muito disso nas mídias sociais, como já comentei sobre os blogs femininos de beleza e os brindes/sorteios que fazem. As mulheres empreendedoras tem grande habilidade para se conectar, apoiar e encorajar umas às outras no caminho do sucesso profissional.
E para completar, o artigo indicava redes sociais para mulheres empreendedoras – todos em inglês, mas fica o desafio para criarmos redes semelhantes aqui. Clique nos links e conheça-as: Empower Me! , Diversity Woman, International Black Women’s Collaborative , Ladies Who Launch, Minority Women on the Rise, Pink Magazine, Savor the Success, Woman Owned, Women’s Peer Network.

Você pode gostar também de ler:
Desde que fiz meu primeiro detox digital, num verão há alguns anos, eu tenho descoberto
Eu vi nascer o Fórum Cristão de Profissionais. Estava no culto num domingo em que
vait_mcright / Pixabay Sempre acreditei na vida junto. Nada do que
“Cada sonho que você deixa para trás é um pedaço do seu futuro que deixa
Participei do COLab, o Laboratório de Convergência Audiovisual, que reuniu na Unibes Cultural interessados na
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas