cultura web / entretenimento

“Global warming is threatening the long term existence of polluting courier planes, trains and automobiles, so a book delivered in seconds from the other side of the world to feed my educational and reading passion is rather an attractive ecological proposition.. now the challenge will be to find the time to read it!”
Jeff Bullas

leitura no iPad

Poucos dias se passaram desde que falei do uso constante que faço do iPad, contando da matéria na Folha Tec, eu sei. Mas hoje vi um artigo que me fez relembrar quantas coisas eu acredito que mudaram no meu cotidiano com o tablet.

A mais recente e que preciso contar é a leitura. Depois de ler um livro no iPad (um iBook, como chamam), você dificilmente pensará em ler em outro formato. Sério!

As razões mais óbvias para migrar suas leituras para o tablet:

  1. o preço (ainda é pouco mais barato, mas é mais em conta, o que ajuda quem lê muito),
  2. a portabilidade (eu passei das 900 páginas de Guerra dos Tronos volume 2 para o terceiro volume direto no iPad, num alívio que meus braços agradecem),
  3. a possibilidade de levar meus livros (mais de um, quantos precisar) comigo para onde eu quiser ou precisar
  4. a economia de insumos (sei que os aparelhos são feitos com metais pesados e etc, mas o fato é que com livros digitais deixamos de imprimir e jogar fora muito papel, inclusive das embalagens)
  5. a busca (e aqui entra a vantagem não-óbvia), pois na versão digital as anotações, excertos de trechos, destaques e as buscas por palavras-chaves são automáticas. Selecionou, clicou, buscou dentro da obra, na internet, na wikipedia, etc…

Infelizmente estas vantagens não estão todas nas leituras digitais de revistas e jornais, mas muitas delas estão e o artigo que li (em inglês), reforçava a questão do consumo de mídia como um dos grandes motivadores da popularização dos tablets.

Como eu uso o iPad:

A outra troca comumente feita por usuários de tablet é do consumo de vídeos e músicas – e novamente me vejo nisso. Vejo muitos seriados e filmes no iPad via NetFlix (e vale lembrar, eu não “ganho” para falar deste serviço, é que uso mesmo) e transferi minhas playlists favoritas para o iPad, onde escuto músicas usando aplicativos (sobre os quais preciso falar, mas fica para outro dia). Também usamos muito para ver clipes no youtube, como uma vez eu fazia com o notebook enquanto cozinhava, mas só que agora com mais portabilidade e qualidade (sim, a qualidade do som é muito boa!).

“The “now” generation wants their news, entertainment, information and access to online stores instantly whether that is on the bus, bedroom or even on the beach.”
(“A geração do “agora” quer que suas notícias, entretenimento, informação ou acesso à lojas online estejam disponíveis naquele momento, seja no ônibus, na cama ou até na praia.”)

No artigo Jeff Bullas citava também dados de uma pesquisa feita por seven.co.uk com usuários de iPad do Reino Unido que trazem um novo olhar sobre os usuários, mostrando que a maioria não é compradora compulsiva de novos gadgtets (os early adopters ou heavy users) e que esperam que uma nova tecnologia se estabeleça antes de comprarem, mas se renderam ao produto que em 11 meses vendeu 15 milhões de unidades, um recorde. Lembro de ter lido também uma reportagem que mostrava que o iPad (e não o iPhone ou o iPod) foi o produto de entrada de muitos novos usuários da Apple e eu me coloco nesta lista: comprei o iPad no mesmo mês que o iPhone e em três meses eu já estava migrando para o Mac, depois de anos como usuária fiel da Microsoft e da Nokia, ciente que de as facilidades do sistema iOS me ganharam em definitivo.

E, para não dizer que falei só da minha visão pessoal, alguns dados sobre o uso do tablet que retratam esta mudança do uso de tecnologia – segundo os dados da pesquisa com usuários do Reino Unido:

O tempo de uso do iPad:

  • O tempo de uso de computadores desktop por donos de iPad caiu 35%, quase a mesma proporção dos usuários de laptops, de 39%
  • 87%  dos donos de iPad dizem que usam o aparelho todos os dias da semana
  • 26% usam o iPad por 30 minutos a uma hora por dia, enquanto que 32% afirmam usar por 1 a 2 horas por dia e 24%  por mais de 2 horas por dia
Você conseguiria calcular o tempo de uso diário aí? Compartilhe nos comentários!

Onde as pessoas usam o iPad:

O gadget é bem prático e pode acompanhar o dono em várias situações:

  • 69% usam na cama
  • 42% usam na cozinha
  • 20% dos homens não se separam deles nem no banheiro (ECA!)
No banheiro, sinceramente, nem me contem que usam, por favor, né?
Tenho curiosidade de saber onde os brasileiros usam o iPad, tanto quanto por quanto tempo usam. Contem por favor nos comentários deste post, tá?

E sobre os aplicativos para iPad:

  • 16% comprou aplicativos ligados a uma marca conhecida
  • 84% estão bem interessados em comprar um aplicativo de uma das suas marcas favoritas, mas somente se não for obrigatório se inscrever em mailing para isso
  • os aplicativos gratuitos são duas vezes mais populares do que os pagos, sendo que a média é de 18 apps gatuitas para 10 apps pagas
  • 64% dos que compraram apps para iPad foram fortemente influenciados pela “utilidade” delas, mas o conteúdo é citado como importante para 47% dos usuários, enquanto que o preço surge como um fator decisivo para 44% dos que compraram apps. A recomendação de amigos foi citada por 27% dos compradores de apps para iPad, enquanto 15% afirmaram que a opinião de especialistas pesou muito na compra.

O que pesa para você? Ler especialistas (blogs, revistas?) sobre o assunto ou ter a indicação de amigos que mostram que usam os aplicativos? Conte nos comentários!

Para quê as pessoas usam o iPad:

  • 75% para acessar a internet
  • 63% para mandar e-mails
  • 53% usam principalmente para entretenimento
  • 48% para jogar (será que isso não seria entretenimento ou merece mesmo categoria à parte?)
  • 41% para manter suas redes sociais e se relacionar com amigos através delas
  • 29% para pesquisar produtos e serviços
  • 25% para ler livros
  • 21% para ouvir música
  • 19% para fazer compras
  • 13% para ler revistas
  • 13% usam para trabalhar
  • 11% para ver TV (isso eu fazia quando usava mais o Galaxy Tab que tem TV digital integrada! Agora ele fica com os meninos quando estou em casa!)

Como você usa? Conte aí!

Uma nota sobre os usuários desta pesquisa: 51% afirmaram que preferem o formato interativo das revistas no iPad, mas 23% ainda preferem o modelo antigo, o impresso. É, nem todos são como a menininha do vídeo que reclama que a revista é um iPad estragado…

(Creio que todos já viram, mas o vídeo é tãoooo legal, vale sempre rever e repensar!)

Posts Relacionados:

 

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas