#ad / bem estar

“A Organização Mundial da Saúde estima que existe no mundo cerca de 1,2 bilhões de pessoas com risco elevado de contrair gripe com complicações, sendo 385 milhões de idosos acima de 65 anos de idade, 140 milhões de crianças, e 700 milhões de crianças e adultos com doenças crônicas. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e 39% a 75% a mortalidade global. Entre os residentes em lares de idosos, a vacinação pode diminuir em 60% o risco de pneumonia e em cerca de 50% a 68% o risco global de hospitalização, respectivamente.”

Foi com a Gripe H1N1 que a ideia de imunização contra esta virose tão comum se tornou um fato conhecido da maioria das famílias brasileiras. Até então tomar vacina contra gripe era coisa de quem trabalhava em empresas enormes (que faziam mutirão de vacinação para os funcionários) ou de quem tinha mania de doença – e eu lembro do avô do meu marido dizendo, quando surgiu a vacinação gratuita para idosos, que era vacina mata velhinho, reclamando muito do que, na verdade, era para seu bem!

Creio que, vencido o risco com o surto de Gripe Suína em 2009 e com a vacinação em massa no ano seguinte, nós todos aprendemos que as campanha contra a gripe têm um grande ganho social.

Neste ano o Ministério da Saúde pretende vacinar mais de 30 milhões de pessoas em todo o país na 14ª Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe influenza, que será realizada, em todo o país, entre os dias 05 e 25 de maio.

Mais de 65 mil postos do Sistema Único de Saúde (SUS) estarão preparados para vacinar o público alvo, formado por 30,1 milhões de pessoas. No sábado seguinte (05/05) acontece o Dia D de Mobilização Nacional que visa chamar a atenção para a importância desta medida de prevenção.

Além das crianças, gestantes, idosos, povos indígenas, profissionais de saúde e portadores de quadros clínicos especiais, a campanha de 2012 atenderá uma nova parcela da sociedade da qual frequentemente esquecemos: a população prisional. Seu principal objetivo é reduzir a mortalidade, as complicações e as internações que ocorrem em consequência das infecções pelo vírus da influenza nesta população.

A vacina protege contra os três principais vírus que circulam no hemisfério sul, entre eles o da influenza A (H1N1). A meta é imunizar, pelo menos, 80% do público prioritário, cerca de 24,1 milhões de pessoas. 

Não sei de vocês, mas eu sempre me perguntava como são escolhidos estes grupos de risco que merecem a vacina (porque eu, na faixa dos 30 anos, raramente estou neste grupo). Soube que a Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde, define os grupos com base em estudos epidemiológicos e observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da influenza.

campanha de imunização

Quem deve ser vacinado?

Evidências indicam que alguns grupos são mais susceptíveis às doenças respiratórias. Neste ano, os grupos são compostos por pessoas com 60 ou mais anos de idade; crianças de seis meses a dois anos; gestantes em qualquer período de gravidez; profissionais de saúde que trabalham no atendimento para influenza; população indígena (todas as idades); portadores de quadros clínicos especiais, mediante indicação médica; além da população prisional.

E por que devemos apoiar e participar destas campanhas?

A campanha anual contribuiu, ao longo dos anos, para a prevenção da gripe nos grupos imunizados, além de apresentar impacto de redução das internações hospitalares, mortalidade evitável e gastos com medicamentos para tratamento de infecções secundárias.

O que parece ser invisível (pois não notamos quem está saudável), passa a ter grande valor quando contamos quantas pessoas deixarão de perder dias produtivos no tralhalho, nos estudos ou mesmo no lazer. Toda sociedade perde quando um grupo é acometido de viroses assim e elas frequentemente chegam a nós, os adultos jovens saudáveis, através de pessoas que estão exatamente nestes grupos de risco e que quando vacinadas diminuem o risco de adoecerem.

Então, nestes 20 dias de vacinação, vamos nos empenhar para levar nossos queridos para os postos de vacinação, hein!

Amanhã, dia 09/05 o Ministério da Saúde vai fazer uma Twitcam com um dos seus especialistas para tirar todas as dúvidas sobre a #vacinagripe. As perguntas devem ser enviadas com a hashtag #vacinagripe para @minsaude. Não deixe de acompanhar!

P.S. A Vacinação nos presídios será realizada pelas secretarias estaduais e municipais de saúde, em parceria com as secretarias estaduais de justiça. Serão disponibilizadas 500 mil doses para esta população. A iniciativa faz parte das determinações do Plano Nacional de Saúde no Sistema Penitenciário, criado por portaria dos ministérios da Saúde e Justiça. Um dos seus objetivos é garantir o direito à saúde dos presidiários, população que está mais vulnerável a doenças respiratórias e pulmonares, devido às condições de habitação e confinamento. Estudos indicam que eles apresentam chances 27 vezes maiores de contrair tuberculose, por exemplo, em comparação com a população em geral.

Você pode gostar também de ler:
[update] A ganhadora do mimo é uma verdadeira empreendedora e uma cidadã generosa, Débora Domingues
Dois textos que li em blogs voltados ao mundo corporativo enfatizavam características muito femininas que
"Na América Latina, existem 14 milhões de crianças, entre 5 e 17 anos, em situação
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas