Motivos para andar de bicicleta

arte mobilidade bicicleta curitiba (1)

São atitudes que devemos valorizar. Em Curitiba o mês de setembro vai ser de incentivo ao uso de bicicleta no dia a dia da cidade. Mais do que um movimento para diminuir os poluentes, a ideia é repensar a ocupação dos espaços públicos. Quem me indicou o texto de Paola Carriel da Gazeta do Povo foi a @simonezelner, gentil e sempre empenhada em me manter informada da nossa cidade.

A notícia vinha no mesmo dia que em Sampa valorizava a criação de novas ciclovias de lazer (li no jornal impresso e não acho agora o link para compartilhar aqui, mas este já ilustra o tema), mas o fato é que são poucos km de ciclovia para também poucos (proporcionalmente ao tamanho da cidade) ciclistas por aqui.

Em Curitiba, onde há mais ciclovias e este movimento é anterior, o movimento Arte Bicicleta Mobilidade promete ser a atração do trânsito neste mês. Eventos culturais e políticos prometem incentivar e cobrar do poder público o uso de meios de transporte mais limpos – lembrando que 22 de setembro é o Dia Mundial sem Carro e nesta data eles realizam a “Marcha das Mil Bikes” na capital paranaense.

[Segundo li, os organizadores estimam que se 10% dos motoristas deixassem seus veículos motorizados em casa, 38 milhões de quilos de poluentes deixariam de ser jogados na atmosfera anualmente.]

bicicletada_agosto09_4 (1)
Reprodução de imagem do blog do evento

Da matéria eu achei simpáticos os cinco motivos para andar de bicicleta:

  1. É um modal totalmente limpo, sem emissão de poluentes.
  2. Ao mesmo tempo que você se locomove, faz exercícios físicos e contribui para sua saúde e bem-estar.
  3. O motorista que deixa o carro em casa contribui para melhorar o trânsito. Cada bicicleta é um carro a menos nas ruas.
  4. Com a bicicleta, o ciclista tem mais contato com a dinâmica da cidade e conhece melhor o espaço urbano.
  5. Além de não poluir, o modal também é silencioso e diminui o barulho nas grandes cidades.

E os cinco desafios para os ciclistas:

  1. O principal problema é a falta de infraestrutura. Não há ciclovias ou ciclofaixas em toda a cidade.
  2. Os motoristas e pedestres não respeitam os ciclistas.
  3. Não há bicicletários para deixar as bicicletas. Em função disso, também não há como fazer conexão com ônibus.
  4. Falta uma cultura geral de apoio ao uso do modal.
  5. Ainda não há segurança para os ciclistas. Há perigo tanto em ciclovias, como ser assaltado, quanto em vias movimentadas, onde há risco de colisão com veículos motorizados.

E se você mora em Curitiba, vale dar uma olhada na agenda dos eventos para este mês.

[update] Andei tuitando sobre:

[/update]

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook