Meu lado B (meu primeiro meme)

skinferragamo2-778092.JPG

Hoje no Nossa Via Max tocou – em Salão de Móveis de Milão… ou, meu lado B queria ser designer! – num tema que tinha tudo para render um post meu. Mais do que isso, comentei lá com ele que valia um meme – e vejam, nunca antes eu criei um meme ou blogagem coletiva. Mas aqui está, deixo o convite para quem me lê contar do seu lado B. Desafio e tanto, não é? Mas quem vai me dizer que ao ver aquela propaganda do cara imitando a pose de “Bee Gees” na rua (e sua linda Brastemp Club em casa) não parou para pensar no seu lado B? Eu pensei, Gui e eu rimos à beça imaginando-nos e até os meninos entraram na onda.

Meu lado B tem tudo a ver com o Salão de Milão, porque nele deixo aflorar a futilidade, o gosto por coisas requintadas (mais do que sofisticadas, admito) e a queda por objetos inovadores em decoração. Se vierem no meu apartamento verão o contrário, vivo numa decoração típica sulista: com conforto, discrição e quase nada de luxo e estilo. Mas namoro revistas de decoração e o lado B aflora. Ter uma madrinha que é decoradora e cujos projetos em Casa Cor conheci com privilégios pesa, claro. E ter a antiga melhor amiga da faculdade (e madrinha do meu casamento) que fez pós em moda em Milão ajuda ainda mais. Mas o que conta é a força com que o lado B vem à tona, independente da nossa vontade, como aquela mãozinha esticada do cara no comercial de TV. Involuntário, por isso tão real, causando tanta empatia. (Aliás, tem um blog, que eu visito há um tempo, onde você pode criar uma imagem do seu lado B, é bem divertido)

Eu sou de uma família meio fashionista (até meu pai é vidrado em roupas e não vai desarrumado nem na esquina comprar pão) e minha mãe é para muitos sinônimo de elegância e sofisticação. Quando eu era bem pequena, lembro dela saindo nas colunas sociais dentre as mais elegantes da cidade e as fotos dos jornais me provam que era verdade. Eu saí meio patinho feio nisto, no meio de uma irmã que é fashionista assumida (ela sempre está na última moda, mas guardando o requinte da mãe) e outra que é adepta do clássico (pudera, médica cardiologista tem que ser meio séria). No meio disto, eu saí como mais descolada e avessa às imposições da moda. Será? No fundo não, sucumbo a tudo que é belo, mas não queria ser designer, meu lado B é consumista! (risos) E nestes dias, o sonho de consumo está no blog Milão, que Max comentou. Nele Camila Cecchi conta detalhes do evento e de quebra dá notícia de sua busca por objetos e lugares inspiradores na cidade italiana que é uma das capitais da moda e berço das melhores escolas de design do mundo. Até Milão tem um lado B inimaginável! Vale ver as fotos dela para entender.

collage1.jpg

P.S. Consumir de verdade ainda não dá, mas encontrei dois amigos online que estão se tornando companheirões offline e adoram ver coisas bonitas. Helton, que também comentou sobre o Salão no nosso blog Style, e Renata Ruiz, que está me convencendo a começar a freqüentar os desfiles e eventos fashion de São Paulo! 🙂

P.P.S. O convite para o meme está aberto para quem topar o desafio, é só avisar nos comentários. Mas a intimação é para Luma Kimura, Evellyn, Veridiana, Anny, Kaká, Luma Rosa e minha prima Leninha. Mas se a Palpiteira, a Carla do Brasil e meu novo amigo Zé quiserem aderir, vou adorar saber seu lado B também. 😉

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook