Meu bolso em dia #recomendo

“Economize sem sofrer: afinal ninguém precisa guardar nem gastar tudo que ganha”

educacação financeira, meu bolso em dia, como fazer o dinheiro render, como usar bem o salário, dicas para orçamento doméstico, dicas para começar a poupar, na sua planilha de custos mensais inclua sempre um valor para lazer, como fazer o salário sobrar,

Quem me conhece sabe que eu sou pouco consumista (de verdade, gente, mesmo em gadgets, só me perco em livrarias mesmo!). Um dos meus segredos para ser a “dona” do meu dinheiro é que eu faço planejamento – meu marido até diz que sou a rainha disso. Desde a faculdade eu anoto os gastos cotidianos, mesmo os menores, para poder ter uma visão do consumo no futuro próximo. E no tempo de Japão eu ampliei isso, passei a também separar os valores que usarei para o consumo mensal e o que pretendo poupar.

Conheci na semana passada o site Meu bolso em dia, da Febraban e foi com satisfação que vi lá algumas dicas que eu já tinha aprendido na prática. É do site a frase com a qual abri o post e que encerra uma verdade: dá para ter uma vida financeira saudável sem passar necessidade. Afinal, economia não é deixar de comprar o que necessita, mas apenas adiar esse gasto e garantir, de forma consciente, o consumo no futuro.

Gostei das cinco dicas para começar a poupar:

  1. Crie metas: É importante definir quanto será poupado por mês e para quê. Isso ajuda a não desistir no meio do caminho.
  2. Seja camarada com seu bolso: Mesmo que demore mais tempo para alcançar o objetivo, separe uma quantia que não pese tanto no orçamento. Querer poupar já é um grande passo, seja qual for a quantia.
  3. Esqueça esse dinheiro: Não conte com o dinheiro que vai guardar. Aquele valor que irá virar poupança não deve ser usado a cada nova oportunidade de consumo que surgir. Isso ajuda você a juntar seu dinheiro.
  4. Dinheiro guardado em casa é dinheiro parado: Juntar dinheiro debaixo do colchão, em uma gaveta ou em uma caixinha parece prático, mas nem sempre é uma boa ideia. Além de problemas como roubo, incêndio, enchente etc., com o passar do tempo, o dinheiro vai perdendo o seu valor de compra.
  5. Aproveite seu pé-de-meia: Ter um dinheiro guardado é uma forma de garantir um futuro mais tranquilo, poder investir na educação de seus filhos, comprar bens necessários (estudo, viagem, imóvel) ou abrir um negócio próprio. Pense nisso.

E uma última dica de quem tem este hábito de planejar e poupar: na sua planilha de custos mensais inclua sempre um valor para lazer (cinema, comer fora, etc) e para reposição do guarda-roupa (não adianta dizer que não vai comprar aquela bolsa nova, é melhor colocar um teto nos gastos dentro do que pode mesmo sair do orçamento sem pesar). Assim você não se sentirá “lesada” por poupar e pode ser que vire hábito guardar para gastar (bem) depois.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook