destaque / entretenimento

discurso-incrivel-de-meryl-streep-no-golden-globe

Eu não vi a premiação do Golden Globe ao vivo, mas mal acordei e já tinha uma repercussão na minha timeline do Facebook e do Instagram, tudo “culpa” da diva Meryl Streep, que recebeu o Golden Globe honorário “Cecyl B. De Mille” por sua carreira.

(Cecil B. DeMille foi um cineasta americano, um dos 36 fundadores da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas)

Esse foi o nono Golden Globe que Meryl recebeu e em seu discurso ela deu uma lição sobre o papel dos estrangeiros (imigrantes) na construção do que entendemos hoje como Sétima Arte, cinema, Hollywood.

“O que é Hollywood senão um grupo de gente de todas as partes?”.

Citando colegas que estavam na plateia, ela listou alguns casos emblemáticos.

Ruth Negga, protagonista de Loving, é de origem irlandesa e etíope.

Natalie Portman é de Jerusalém.

Dev Patel é britânico, nascido no Quênia e criado em Londres, filho de imigrantes indianos.

Ryan Gosling, estrela de La La Land, o filme que foi o grande vencedor da noite, é canadense.

A atriz mencionou todos eles para argumentar que, se essas pessoas encarregadas de emocionar dando luz a histórias alheias, a vidas diferentes das suas próprias, fossem expulsas dos EUA, o público só veria futebol americano.

“Ou artes marciais, que obviamente não são arte.”

Sem citar o nome de Donald Trump, aludiu ao presidente eleito dos EUA e recordou o momento em que o futuro ocupante do Salão Oval zombou de um jornalista com deficiência física: se é o poder que abusa dos fracos, todos os demais o imitarão.

“A falta de respeito incita a mais falta de respeito. A violência, a mais violência”.

E finalizou citando Carrie Fisher “Pegue o seu coração partido e o transforme em arte”.

A premiação teve outros momentos, claro, e Chris Santos contou alguns no nosso instagram @avidaquer.

Para quem não acompanhou o Golden Globe ontem, a série ‘The Crown’ da Netflix ganhou ontem dois prêmios, melhor série dramática e melhor atriz dramática para Claire Foto, que interpretou a Rainha Elizabeth em sua juventude. Sobre a premiação, com respeito ao Hugh Laurie (Dr. House), achei injusto John Litgow não ter recebido o prêmio de melhor ator coadjuvante em série dramática, sua interpretação de Winston Churchill foi incrível. Vimos a primeira temporada ‘numa sentada só’ e contamos sobre o que achamos no blog. http://www.avidaquer.com.br/the-crown-netflix/ #streamteam #NetflixBrasil #netflix #thecrown #clairefoy #agentenaoquersocomida #avidaquer @avidaquer por @teeeetchy avidaquer.com.br | avidaquer no Facebook | Instagram | Twitter

A photo posted by (blog) A Vida Quer (@avidaquer) on

Depois de 5 indicações ontem Viola Davis ganhou seu primeiro Golden Globe de melhor atriz coadjuvante pelo filme ‘Cercas’, peça do dramaturgo August Wilson ambientada nos anos 50, que aborda a realidade da experiência dos afroamericanos e as tensões raciais nos Estados Unidos.
Seu discurso foi lindo, além de agradecer aos equipe, agente, ela faz uma homenagem linda ao pai que faleceu ano passado: “E ao Troy original, meu pai, Dan Davis. Nasceu 1936, que cuidava de cavalos, estudou até a quinta série, não sabia ler até os 15 anos, mas quer saber? Ele tinha uma história, que merecia ser contada e August Wilson a contou, muito obrigada!”

O filme Cercas (Fences) ainda não tem data definida para ser exibido no Brasil.

É baseado numa peça de teatro de 1983, escrita pelo dramaturgo August Wilson, que se passa na década de 1950 e retrata a evolução das famílias afroamericanas, examinando as relações étnicas ao longo da história dos Estados Unidos.

Em resumo, o personagem central é um homem que sonhava em se tornar um grande jogador de beisebol durante sua infância, acaba frustrado na vida como um catador de lixo.

Fences é a sexta de dez produções da Broadway, criadas por Wilson, que recebem o nome de Pittsburgh Cycle. A obra venceu o Tony Award de melhor peça de teatro e o Pulitzer de Teatro, ambos em 1987.

O elenco do filme é de estrelas: Denzel Washington (Sete Homens e um Destino), Viola Davis (Esquadrão Suicida), Mykelti Williamson (Forrest Gump – O Contador de Histórias), Stephen Henderson (Roubo nas Alturas), Jovan Adepo (da série The Leftovers) e Saniyya Sidney (da série American Horror Story).

Você pode gostar também de ler:
O cineasta Rafael Primot juntou um elenco incrível pra contar histórias de amor. Com Maria Luisa
Desde que fiz meu primeiro detox digital, num verão há alguns anos, eu tenho descoberto
Como lembrou Francisco Russo no Anime Pop, “o bom anime japonês tem por tradição lidar
Eu vi nascer o Fórum Cristão de Profissionais. Estava no culto num domingo em que
Numa semana em que vi discussões sobre censura, política e fé pública (discutindo se líderes
The following two tabs change content below.

Christina Santos

Christina Santos, química, com especialidade em pesquisa e desenvolvimento de cosméticos, adora gatos e pipoca e tem grande interesse em meio ambiente, e sustentabilidade corporativa.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas