destaque / educação / empreendedorismo / melhor idade / sororidade

Há alguns anos eu mediei um papo que virou um documentário sobre microempreendedorismo feminino do Consulado da Mulher

Conheci o Consulado da Mulher

Aprendi coisas lindas entrevistando as mulheres do projeto e trouxe um princípio pra vida de lá:

Todo mundo tem algo para ensinar, sempre temos o que aprender.

Na proposta, para fazer cursos de artesanato e ter um princípio de vida nova, cada participante teria que ensinar algo.

Acredito que algumas características femininas que permitem isso. A empatia que se cria, quase naturalmente em mulheres abertas para se relacionar e se apoiar, acontece porque o foco feminino é enxergar os detalhes de forma holística. Como assim? Ora, a gente fica atenta a pequenas coisas, mas sempre está de olho no futuro, em como a coisa vai crescer, evoluir, se ampliar. Talvez tenha esta coisa de gerar, a tendência de fazer uma semente crescer e se tornar algo independente, bom, factível, positivo.

É esse espírito que fui buscar – e achei! – na Mega Artesanal.

O evento, o maior da América Latina, reune artesanato, confeitaria e festa, corte e costura e artes manuais. Vi desde insumos, máquinas, ferramentas e acessórios até peças prontas, exposições, desafio de moda entre alunos de ETECs, lançamentos de livros, performances de artistas e cursos gratuitos (são cerca de dez mil vagas diárias!) que ajudam quem procura um jeito rápido de ganhar um dinheiro extra e complementar o orçamento familiar.

A feira começou em 2003, como Artesanal, e passou a Mega Artesanal em 2006. Desde então, já recebeu mais de 1,5 milhão de visitantes. Neste ano são 34o expositores, entre eles principais marcas da indústria, grandes nomes do comércio, ateliês e artesãos, prontos para receber cerca de cem mil pessoas.

Fiz uma aula de bordado no stand da Döhler Têxtil hoje e o público comprovava as caravanas que dizem que visita a feira: mais de 200, do interior de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, entre outras.

E quem são os visitantes da “Disneylândia do artesão”?

Interessados na onda do DiY (Faça você mesmo), nos programas de culinária, na conscientização da necessidade de reaproveitar, de dar um novo uso para determinado objeto e gerar menos lixo, quem tem vontade de customizar roupas, casa, a vida.

Ainda tem a “tia do artesanato”? Sim! Mas o público jovem, descolado e interessado em resgatar memórias afetivas cresce a cada ano.

O trabalho manual ainda é feito como um hobby, mas nos últimos anos vem sendo indicado como terapia e para diferentes situações. Eu mesma já falei da minha costuraterapia por aqui, lembram?

Costura que cura

São inúmeros casos, por exemplo, de pessoas que saíram de crises de depressão graças ao artesanato, e de ONGs ou mesmo hospitais que criam grupos para pacientes em tratamento e suas famílias se socializarem e/ou elevarem a auto estima por meio do artesanato.

E essa área é a salvação para muitas famílias!

Entrevistei hoje Lucas Ferreira, um dos responsáveis pelo stand da PH Fit, e ele me contou de um estudo inédito realizado pelo Clube de Artesanato, que entrevistou 3.649 pessoas nos meses de maio e junho no Brasil e levanta o perfil do artesão no Brasil.

Saiba mais desses brasileiros:

  • 49% dos entrevistados fazem artesanato para ganhar um dinheiro extra
  • 17,7% estão formalizadas como MEI
  • 45,8% disseram que não têm interesse em se registrar
  • 21,5% que não saem da informalidade porque não têm incentivos do governo e nem como arcar com os custos altos de uma empresa
  • 63% dos lares há apenas uma pessoa com trabalho fixo e, em momento de crise,
  • as artes manuais e o artesanato ajudam 56% dos entrevistados a aumentar a renda
  • 31% sustentam entre duas e quatro pessoas com os ganhos obtidos a partir da venda das peças

A realidade: há 14 milhões de desempregados no Brasil e o trabalho manual e o artesanato são caminhos rápidos e econômicos para quem quer complementar a renda ou empreender.

Historicamente a Mega Artesanal tem esse perfil de capacitação profissional, mas nos últimos anos tem crescido o número de pessoas, inclusive jovens, interessadas no artesanato como uma fonte de renda e não mais apenas como hobby ou terapia.

É o que confirma a Pesquisa de Informações Básicas Municipais (2014), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontando que aproximadamente 8,5 milhões de brasileiros garantem o sustento do lar fazendo artesanato, que artistas e artesãos movimentam mais de R$ 50 bilhões por ano, e que o artesanato está presente como atividade econômica em 78,6% dos municípios brasileiros.

Caminhando por lá hoje, percebi que a feira atende quem quer aprender e isso significa mudar ou melhorar de vida.

Há muitos cursos, a maioria grátis, que acontecem nos estandes dos grandes fabricantes de insumos, em verdadeiras salas de aula na feira com trazem artistas e artesãos conhecidos para ministrar as aulas. São dez mil vagas, além de demonstrações de técnicas que acontecem em vários estandes e são acompanhadas por outras centenas de visitantes.

Como fazer?

Em geral, basta chegar e fazer a inscrição, mas as vagas para os cursos são bem disputadas. Cada participante ganha o kit com o material necessário e, ao final, leva a peça criada para casa.

O que fazer?

Há cursos de bordado, de pintura, de arte com fita, de cartonagem, enfim, são dezenas de técnicas diferentes, das mais antigas, como o milenar patchwork, até as mais modernas, como scrap decor. A novidade deste ano são seis cursos diários de confeitaria, por R$20,00 cada, mas no geral os cursos pagos são exceção.

Iniciantes também têm vez?

São muitas oportunidades de, no mesmo dia, aprender a fazer – de graça – várias coisas diferentes. Testando e passeando por lá, em especial pelos stands do Clube de Artesanato e da Döhler Têxtil, confirmei que os cursos oferecidos na Mega Artesanal atendem tanto iniciantes nas agulhas e pinceis como quem já faz algum trabalho manual e quer se aperfeiçoar ou aprender algo novo.

artesanato-e-empoderamento-feminino-a-gente-nao-quer-so-comida-avidaquer

O que podemos ver e comprar?

De uma agulha até a mais moderna e sofisticada máquina de costura. De um pincel a um quadro pronto para decorar a sala. Papel, tecido, tinta, cola, fita, linha, tem de tudo na Mega Artesanal. Para ajudar o visitante a não perder nada e ter uma boa experiência de visitação, a Mega Artesanal é dividida por setores: Pátio da Indústria, onde ficam as novidades dos principais fabricantes do setor e acontece a maioria dos cursos, Paço do Comércio, espaço destinado à venda de insumos para a produção, e Espaço Ateliê, Espaço Patchwork, Espaço Corte e Costura, Praça do Artesão e Artesanal Confeitaria e Festa, espaços para conhecer e comprar peças feitas à mão, artesanais, moldes, projetos etc. Há um app com a planta da feira que ajuda o visitante na localização dos estandes e no calendário de atrações. O visitante precisa organizar seu roteiro para ver e aproveitar bem a feira, que também tem exposições e outras atrações.

E quem quer ir além?

Ter um negócio próprio é o quarto sonho do brasileiro, atrás de viajar pelo Brasil, comprar a casa própria e um automóvel. Segundo a pesquisa GEM (Global Entrepreneurship Monitor), realizada em 2016 em parceria com o Sebrae, 36% dos brasileiros possuíam um negócio ou realizaram alguma ação para ser dono da sua própria empresa.

 

O que mais me encantou nesta edição, no entanto, não é empreendorismo direto, mas a educação formal se abrindo para ideias inovadoras.

alunos-da-etec-na-mega-artesanal

O Desafio de Moda & Craft é lindo! São 48 alunos do curso de Modelagem do Vestuário de três ETECs (Escolas Técnicas Estaduais) divididos em duplas, que terão sete horas para criar um modelo conhecido apenas minutos antes de cada dia de Desafio. O material a ser utilizado por cada ETEC será papel, feltro, fitas e fios, tecido, botões e aviamentos. Todos os trabalhos ficarão em exposição ao longo da feira, independentemente de sua classificação. Serão premiados o primeiro, segundo e terceiro melhores projetos de cada ETEC, com divulgação do resultado, entrega de certificados e brindes no último dia da feira.

Passeando pelo evento, encontramos três deles: @belamoliveira @lostboysp @giovanna_nah estudam na ETEC José Rocha Mendes e no perfil @moda.jrm dá para saber mais do que eles criam. Foi tão legal encontrar com eles, comprovou que essa “moda” maker ou Do It Yourself (faça você mesmo) é mais do que uma fase da crise ou coisa passageira. É um novo posicionamento no mundo.

E vejam que legal: São Paulo tem várias escolas públicas da área, só não estuda moda quem não quer!

😉

Serviço:

  • Mega Artesanal 2017
  • Data: 11 a 16 de julho (11/07 apenas para lojistas, imprensa e convidados)
  • Horário: De 11 a 15 de julho, das 10h às 18h, e 16 de julho das 10 às 17h
  • Local: São Paulo Expo
  • Endereço: Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5
  • Vans gratuitas: na estação Jabaquara do metrô, durante todos os dias
  • Ingresso: R$ 20,00 inteira e R$ 10,00 meia entrada
  • Proibida a entrada de menores de 12 anos

Uma dica: façam cadastro pela internet antes de ir!

The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas