mãe

Hoje acontece um mamaço virtual e real, uma ação de mães que são, como comentei outro dia, Embaixadoras do Aleitamento. Aleitar as crianças sempre foi uma atitude natural, mas de uns tempos para cá a coisa começou a parecer estranha, a tal ponto que chegou a ser meio exceção. Conte aí algumas décadas, pois a vó do Gui, nascida em 1915, me contava, enquanto eu aleitava os bisnetos dela, que na época em que teve filhos “o leite ninho era o melhor”…. sim, ouvi isso dela enquanto eu amamentava “descaradamente” os meninos no seio da família. E não a critico, sabem, ela foi mãe quando já não tinha mãe e se baseou em informações que eram a “grande verdade” da época. Felizmente eu tinha visto as mulheres da família aleitarem e nunca idealizei a maternidade usando leite em pó…

(Não estou criticando quem não aleitou, como já falei aqui, sou entusiasta do aleitamento e até doei leite, mas sou totalmente contra a divinização do aleitamento)

Mas entendo que tanto o mamaço virtual (mães reagindo à proibição de publicar fotos de seios desnudos aleitando no Facebook) quanto o mamaço real que acontece hoje no Itaú Cultural são atitudes relevantes para marcamos posição do espaço e do papel que desejamos ter (sim, tem que ser uma escolha, daí eu ser contra a divinização e forçação). E concordo plenamente com Simone de Carvalho, organizadora do grupo e do blog Aleitamento Materno Solidário, quando diz:

“Acredito que o que estaremos fazendo ali no Itaú, é aproveitar o apoio à causa para trazer uma reflexão sobre a importância do ato de amamentar em si. Não somos mãe desinformadas, sem ter o que fazer. Somos mães conscientes do nosso papel em gerar os filhos da sociedade. Todos desejam que esta seja mais justa, mais equilibrada e mais saudável. Vivemos em um tempo de liberdade de expressões, de mudanças de valores, de repensá-los. Evoluímos enquanto conceitos maternos. E o interessante desta evolução é voltar “as coisas mesmas”. O vínculo entre mãe e bebê, a amamentação, é fundamental para o desenvolvimento intelectual, cognitivo e orgânico de uma criança. Todos fomos filhos um dia. Todos fomos de alguma forma amamentados, acarinhados e aconhegados no colo de nossas mães. Viver a maternidade plenamente é um direito acima de tudo. Eu desejo imensamente que este ato possa trazer esta reflexão muito mais do que sensacionalismo. Estaremos ali defendendo a vida!”
Simone de Carvalho

Por razões profissionais, não poderei comparecer ao encontro no Itaú, mas como defensora do consumo de cultura em família, apoio a ideia de Eduardo Saron (diretor do Itaú Cultural) de que “Os bebês podem começar a conviver com a cultura ainda durante afase de amamentação. Certamente crescerão e se tornarão adultos dentro dessa atmosfera, se apropriando e ajudando a divulgar a cultura do nosso país.”

E para quem puder ir até lá hoje, vale ressaltar que, depois do incidente de coação de uma mãe que tentou aleitar em suas instalações, o Itaú Cultural vai oficialmente apoiar o evento, “que de protesto se transformou em evento de promoção do aleitamento em espaços públicos”. As organizadoras terão algumas falas, haverá apresentação de uma parte do DVD Amamentação sem mistério, além de visita monitorada e um lanche de confraternização. O Itaú Cultural fica na Av. Paulista 149, perto da Estação Brigadeiro do Metrô e o encontro acontece entre 14h30 e 17h de hoje.

E sobre o mamaço virtual, várias mães estão participando com fotos lindas. Se você – como @carolpassuelo @blogdati @vivianevivis – também está, conte aí abaixo para que eu possa destacar e linkar, tá?

P.S. Para quem se interessa pelo tema, duas dicas: o grupo Aleitamento Materno Solidário, no Facebook, e o blog Mamíferas. Dois espaços de divulgação de informações e de difusão do orgulho desta fase da experiência da maternidade.

Já falei muito? Tem muito mais nos textos antigos sobre o tema:

Você pode gostar também de ler:
"Dê ao seu filho o que há de melhor. Amamente! Quando uma mulher fica grávida,
// Na semana passada recebemos a visita de um casal de missionários evangélicos, Pastor Ademir
Acho que todo mundo sabe que eu sou uma entusiasta do aleitamento materno. O que
Na sexta-feira, 01/08, começou a a 17ª Semana Mundial da Amamentação promovida no Brasil pela
[Este post faz parte da Blogagem Coletiva da Semana Mundial da Amamentação] Hoje fiz uma busca
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas