Magrinho ou gordinho?

Aconteceu novamente comigo, mesmo sendo minha terceira vez como mãe de bebê: o peso da pequena ficou abaixo da curva. Em estatura, ótimo. Em peso, mais ou menos.

Mas estará certo a gente se desesperar quando os filhos não são gordinhos?

Mães e pais se preocupam sobremaneira com a alimentação dos filhos e os gordinhos que comem bem nos preocupam tanto quanto a criança magrinha que não come nada. Meus dois meninos têm biotipos diferentes e cada um corresponde a um destes esteriótipos – o que me faz sempre pesquisar sobre alimentação.  

Algumas dicas de nutricionisas nunca mudam, independente do biotipo da criança, como incluir lanches nos intervalos das refeições principais (com leite, biscoitos saudáveis, frutas e pão ou cereais).

Como mãe acho que o mais complicado é garantir que a criança consuma pelo menos um alimento de cada um dos três grupos (abaixo) em cada refeição:

– Reguladores: frutas, verduras e legumes. São as fontes de vitaminas, minerais e fibras;

– Energéticos: cereais, pães, macarrão, batata, mandioca, farinhas, etc. Estes são as fontes de carboidrato, que fornecem energia ao organismo.

– Construtores: são ricos em proteínas, cálcio e ferro e compreendem as carnes de vaca e frango, peixes, ovos, leite e derivados e as leguminosas como os feijões, ervilha, lentilha, grão-de-bico, soja, etc.

Mas, se você tem receio de que seu filho fique fora do peso, vale a pena fazer um teste simples para descobrir o índice de massa corpórea dele. O índice de massa corpórea (IMC), que relaciona altura e peso, é um dos métodos mais utilizados para determinar se alguém está dentro dos padrões considerados aceitáveis. Outro teste online interessante nos permite refletir sobre a dieta que adotamos .

Em minha peregrinação online também achei artigos sobre nutrição num especial que ensina a calcular a quantidade de calorias para cada faixa etária e discute o menu nacional. E para completar, vejam o Prato Nota 10 segundo a A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

P.S. E se o seu filho estiver realmente acima do peso, a SBP tem um Manual de Orientação sobre Obesidade na infância e adolescência.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.