Magrela e sedentária #vivapositivamente (por @sarafcmartinez) #abeso

IMG_5726

Fui convidada pela Sam para participar do Encontro #vivapositivamente que aconteceu na última terça-feira, dia 01 de outubro, no IK Ideias. Acordei cedo e fui para a Vila Madalena, ansiosa pelo bate papo sobre “Obesidade e sobrepeso” que aconteceria entre uma equipe de blogueiros e amigos e o doutor Alfredo Halpern, endocrinologista conhecido como o consultor do programa Bem Estar da Rede Globo. Muitas perguntas foram respondidas e saí de lá com uma frase martelando na cabeça: “um magro sedentário corre mais riscos do que um obeso ativo”. Eu sou o que chamamos de “magra de ruim” e, sim, sou sedentária. Talvez seja hora de rever alguns hábitos.

“Obesidade é uma doença que causa outras doenças” e, não é novidade pra ninguém, o nosso Sistema Único de Saúde (SUS) não está preparado para atender pessoas obesas. É preciso acompanhamento psicológico, não é só submeter a pessoa a uma cirurgia e pronto! Parece óbvio, mas ainda falta muito para nosso país estar preparado para atender quem tem a doença. Até porque, como disse o doutor Alfredo, “o obeso ainda não é tratado com respeito”. Ouvir isso me doeu um pouco. Por quê? É simples. Quantas vezes frases como “fulano não emagrece porque não quer”, “beltrano não para de comer e depois quer emagrecer” e tantas outras surgem numa conversa entre amigos?

IMG_5670

É muito fácil (muito mesmo) julgarmos o outro. No entanto, é necessário entender que existem pessoas que são predispostas geneticamente a serem obesas e são muitos os fatores que levam uma pessoa a ficar acima do peso. A primeira pergunta que deve ser feita antes de qualquer tratamento: quando começou a engordar? São inúmeros fatores externos que causam a ganha de peso.

O doutor Alfredo Halpern também comentou sobre as dietas da moda e foi categórico ao dizer que qualquer dieta que seja muito pobre ou muito rica em algum nutriente é maléfica a saúde. Quem está acima do peso precisa entender que controle é diferente de regime. Regime é chato e temporário. Controle é para sempre e o controle não precisa ser chato.

Depois da palestra voltei pra casa pensando sobre o tal controle. Ao contrário de muitas mulheres que conheço ao invés de comer muito quando estou triste ou ansiosa ou passando por alguma fase emocional mais complexa, eu simplesmente não como. Tanto é que ano passado, nessa mesma época, perdi 10 quilos em duas semanas. Hoje, 1 ano depois, estou numa fase bem bacana e veja só, engordei 3 quilos em 2 semanas. Percebo o quanto isso é perigoso. Não quero dizer que estou acima do peso, ainda estou um pouco abaixo do peso que sempre tive e me sinto bem com meu corpo. Comer pra mim sempre foi prazeroso, a comida está diretamente ligada a memórias afetivas. Mas tudo que foge do controle deve ser analisado com cuidado. Extremos são ruins. Não basta eu ser super magrela e super sedentária. Talvez seja a hora de aproveitar essa felicidade toda, comer bem e com prazer e voltar a fazer alguma atividade física. Já que está claro que uma alimentação balanceada e exercícios físicos são os primeiros passos pra uma vida leve, saudável e feliz. A lição tirada foi que não basta ser magrinha, tem que se exercitar. Equilíbrio é tudo!

SaraSara se diz carioca acolhida pela Terra da Garoa, filha, irmã, esposa, cristã e jornalista. Formada pela Universidade Anhembi Morumbi, começou a trabalhar em 2005 como produtora de TV e atualmente é gerente de produção. É apaixonada pelas palavras e para manter a paixão acesa mantém um blog e um diário de papel para sempre lembrar de tudo, já que é uma esquecida assumida. Acompanhe-a no blog … de atos e fatos… e no Twitter @sarafcmartinez.

 

🙂

11 de outubro é Dia Nacional de Prevenção da Obesidade
Este post faz parte da Blogagem Coletiva da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade) pelo Dia Nacional de Prevenção da Obesidade.
Não precisa ser da área de saúde para abordar a questão que envolve todos nós: o desafio de combater a obesidade, uma epidemia de difícil controle, mas possível de se prevenir. Vamos nos unir as vozes pela prevenção do sobrepeso, que já atinge 51% da população brasileira, e da obesidade, que atinge 17%.
E acho que vale listar posts antigos seus sobre o tema, basta indicar na fanpage da Abeso com as hashtags #obesidade2013 ou #abeso.
Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Sara Martinez, 30 anos, jornalista, cristã, “mãe” do cachorrinho Billy. Escreve sobre o amor que sente por São Paulo no @pelocentro, onde compartilha dicas da cidade juntamente com sua irmã. Gosta de desenhar palavras coloridas no @fasesinfrases. É maratonista profissional de seriados no Netflix, inscrita em mais canais do que consegue assistir no YouTube e leitora apaixonada. No Twitter e Instagram: @sarafcmartinez.

Comentários no Facebook