Vocação: curso de tecnologia em Luteria

Loteria? Opa, tem faculdade para jogo?
(risos)
Não! Estou falando de Luteria!
Luthier é o responsável por desenhar e construir instrumentos musicais, além de fazer reparos e manutenção.
O termo se refere à palavra francesa luth (liuto em italiano), por isso os construtores de luth (alaúde) eram chamados de luthiers. Com a evolução dos instrumentos, os luthiers passaram a construir também violões, violinos, violas e, mais recentemente, guitarras e baixos elétricos.
Por exemplo, Márcio Zaganin é uma os profissionais mais famosos do Brasil e dizem que os melhores músicos do país recorrem a ele quando precisam de uma guitarra ou contrabaixo. Veja aqui depoimentos de nomes como, Pepeu Gomes, Roberto frejat, André Christovam e vários outros músicos.

A (minha querida) UFPR tem o primeiro e único curso superior desta área no Brasil. E faltam profissionais, área bonita e com oportunidades para quem talento para artes, tem talento maker e um viés empreendedor.
 
Estou apaixonada!
O curso de Luteria da UFPR apresenta uma opção profissional inédita no Brasil, como carreira autônoma com diploma superior tecnológico. Implantado em 2009, o curso vem suprir a demanda existente há décadas por construtores de instrumentos musicais, em todos os níveis. O projeto tem em vista, como perspectiva realista, a tendência verificada na América Latina do viçoso crescimento da música entre crianças e jovens, como projeto social, sem perder sua dimensão e profundidade artísticas. A luteria é uma atividade que engloba conhecimentos em várias áreas como química, física, música, arte, desenho entre outros, além da habilidade no trabalho com madeira e ferramentas manuais. Particularmente, o aluno deve ser observador, interessado, concentrado, com boas noções espaciais e disposto ao trabalho com ferramentas manuais.

Mas tem diploma, é certificado?

O Curso Superior de Tecnologia em Luteria pertence à modalidade de Educação Profissional Tecnológica de Graduação Presencial, e está amparado legalmente na LDB nº 9.394/1996; Parecer CNE/CES 436/2001; Resolução CNE/CP 3/2002; Decreto 5154/04. O curso é reconhecido pelo MEC conforme a Portaria nº 287 de 26 de dezembro de 2012.

Na UFPR, o curso de Luteria funciona em turno integral e anualmente são oferecidas 30 vagas por turma. O regime de matrícula é semestral (com ingresso anual e oferta semestral de disciplinas). A carga horária mínima é de 1800 horas-aula, que pode ser integralizada em 6 semestres (tempo mínimo) ou 10 semestres (tempo máximo). O curso é composto de três módulos:

    1. Humanidades: Língua estrangeira instrumental; História da arte; Cultura musical e identidade regional e nacional na América Latina; Educação Musical
    1. Profisisonalizante:  Restauração; Constituição, tecnologia e economia da madeira; Química dos Vernizes; Organização e empreendedorismo; Tópicos especiais em Instrumentos Musicais; Construção e entalhe; Arquetaria; Instrumentos de sopro em madeira e organeria; Eletricidade, eletrônica e computação aplicadas.
  1. Ciências exatas: Acústica; Desenho Técnico.

Para ingressar no curso de Tecnologia em Luteria é necessário prestar o vestibular da Universidade Federal do Paraná, que é anual e acontece normalmente em novembro, para início no ano seguinte. As inscrições acontecem em meados de julho. Informações detalhadas podem ser obtidas em www.nc.ufpr.br.

O Lutier é aquele que tem a função de construir e reparar instrumentos musicais de corda. Além da parte técnica da Luteria, que envolve ciências exatas, existe também uma parte artística. Assim, o perfil do aluno desse curso é a habilidade manual, criatividade e sensibilidade.

 

Só se conserta, ou dá para criar?

E para trabalhar depois, como faz?

IMG_9447

Para montar uma oficina profissional completa o investimento é pode ser bastante elevado. Contudo, pode-se começar com alguns itens essenciais e ir aprimorando suas ferramentas e utensílios conforme a necessidade.

É importante ressaltar que os produtos devem ser de qualidade, mesmo que sejam um pouco mais caros, pois irão facilitar o trabalho, darão excelente acabamento e melhor valor agregado ao produto final.

Para iniciar os trabalhos como um profissional de luteria, algumas ferramentas serão primordiais:

  • bancada de trabalho
  • serra tico-tico
  • grampos de fixação
  • tupia manual
  • aspirador de pó
  • serrotes e serras
  • ferramentas multifunção (para furar, fixar tarraxas, etc)
  • ferro de solda;
  • bloco de madeira (para raiar escala);
  • alicates variados (especialmente para cortar os trastes);
  • limas e grosas (para fazer o perfil do braço e dar forma ao corpo);
  • raspadores (scrapers – excelentes para fazer o ajuste fino no perfil do braço);
  • esquadros e réguas de vários tamanhos;
  • martelo com ponta de latão ou borracha;
  • estilete;
  • lixas de vários grãos;
  • cola para madeira;
  • cola instantânea.

Além disso, é importante mencionar a necessidade de utilização de itens de segurança como óculos, protetor auricular e respirador facial.

como montar uma oficia de luthieria

Onde estudar?

Vale ler também:

  • Enquanto o mercado brasileiro de importação de instrumentos musicais sofre os efeitos da retração econômica, negócios dedicados a conserto, manutenção, personalização e fabricação sob medida se garantem como alternativa à compra de produtos de grandes marcas (PME Estadão, julho de 2018)
  • Apesar de um mercado que vem se mostrando aquecido, principalmente nas grandes cidades, há poucos profissionais aptos à profissão. Esse é um nicho que pode ser explorado por pessoas que já entendem de música e querem seguir um novo caminho ou por novos profissionais. (Empregos hoje, julho de 2017)
Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, casada, mãe de 3, jornalista no @avidaquer @maecomfilhos @biblianafamilia.

Comentários no Facebook