a vida quer

 
   

Imagine a situação: você é um jovem artista plástico e tem a chance ímpar de participar do primeiro encontro internacional da sua área. No evento surgem as competições naturais e você percebe que os coroas, que disputam entre si pelos melhores espaços para suas obras, não vão dar brecha para o calouro da turma.

Foi nesta situação que o artista chileno Mario Irarrázabal se viu no verão de 1982, quando ele chegou ao primeiro Encontro Anual Internacional de Escultura Moderna ao Ar Livre, em Punta del Este, no Uruguai.

A história diz que eram nove escultores e ele era o mais jovem. Diante de uma disputa para escolher os lugares atribuídos a uma praça pública onde os artistas fariam suas obras, Irarrázabal decidiu fazer suas esculturas na praia. 

A irreverência e inovação não acabam aí: apesar de ter todo o verão para completar o projeto, ele conseguiu concluí-lo nos seis primeiros dias, mesmo tendo enfrentado pequenos atrasos devido ao forte vento sudeste que é comum (e forte!) em Punta del Este.  

Quem passa pelas esculturas, intactas e lindas na Parada 4 daPraia Brava, nem imagina a idade da obra, tampouco a engenharia por trás da “construção”, que leva concreto e plástico reforçados com barras de aço, malhas de metal e um solvente resistente à degradação cobrindo o plástico do lado externo.

E voltando à história da obra, que vale como uma inspiração para quem quer se posicionar de forma criativa e otimista diante do mercado de trabalho: 
Durante aquele verão de 1972, escultores de todo o mundo trabalharam em suas criações na praia, mas apenas a obra de Irarrázabal pode até hoje ser vista na praia. 

  
Los Dedos deu a Irarrázabal o reconhecimento mundial e é popularizada pelas fotografias dos turistas e reproduções em cartões-postais. Mais tarde, o artista foi convidado a repetir sua escultura no deserto do Atacama no Chile (1992), e em Veneza (1995). A mão uruguaia não deixou seu lugar original, e se manteve praticamente intacta, exceto por uma grafitagem no lado da palma dos dedos feita em 2005.

Saiba mais no site do artista marioirarrazabal.cl 🙂


Estatísticas