Livros de 1,99 a 9,90

collage.jpgVi agora na Folha Online uma lista com livros da Publifolha de 1,99 a 10 reais. Claro, boa parte é de temas questionáveis, mas no verão, à beira da praia, da piscina ou numa rede, uma leitura “leve” não vai mal. Os livros de auto-ajuda, de culinária fácil e cuidados com animais de estimação também fazem parte desta “literatura” acessível. Aliás, sabiam que os gatos também podem ter seu comportamento alterado pelo signo astrológico? Até eu, que gosto de astrologia, achei um abuso! Mas há um livro sobre o tema.

    Para quem gosta de quiz, há uma Série Teste, com cinco volumes e – curioso- ligados ao mundo profissional. Nesta área também pincei E-Business e Tecnologia (artigos da revista HSM Management sobre comércio eletrônico e tecnologia da informação) e A Aventura do Dinheiro. Este úlitmo fala da relação de personalidades como Machado de Assis, Isaac Asimov, Shakespeare, Goethe e Fernando Pessoa com o dinheiro. Útil? Não sei!

        Afeganistão, escrito pelo cineasta iraniano Mohsen Makhmalbaf, retrata a situação do país que já foi local de disputa de soviéticos e americanos, sofreu (?) nas mãos de talibãs e ficou famoso no Brasil depois dos recentes livros ambientados lá e da confusão acerca da War against terror que os americanos relacionam ao país por conta de um muçulmano ligado ao país. Lembram-se dele? Osama Bin Laden*.

              E por falar em política, num ano de eleições municipais que tal se aprofundar em Marketing Eleitoral?

              Prefere música? Dorival Caymmi, de Francisco Bosco, reúne a história dos sambas “sacudidos”, as canções praieiras e os sambas-canção do compositor. João Gilberto, de Zuza Homem de Mello, apresenta a vida e a obra de João Gilberto e seu jeito diferente de harmonizar o samba e seu jeito de cantar.

              P.S. Não posso deixar de comentar que me chamou atenção o número – excessivo, a meu ver – de livros com “frases famosas”, mas aí lembrei da empregada de minha mãe olhando para a imensa estante que tem no escritório de lá e escolhendo um para comentar comigo: que livro legal de frases, dá idéias para mandar mensagem por telefone ou celular. Enfim, para quê mais os livros servem para certas pessoas exceto para limpar e render algumas frases de efeito via sms? Triste, muito triste.

              [update] Correção cobrada por minha mãe num e-mail sobre este post: sobre o saudita, filho de iemenita, Osama Bin Laden, um trecho da wikipedia: “Us?mah Bin Mühammad bin ‘Awæd bin L?din (10 de março de 1957), (em árabe ????? ?? ???? ?? ??? ?? ????) Osama bin Laden é terrorista internacional, filho de um pobre imigrante iemenita que se tornou o homem mais rico e poderoso da Arábia Saudita depois do próprio rei. Bin Laden é o homem mais procurado do mundo. Quando jovem e inexperiente, participou de forma voluntária na década de 80 do esforço jihadista no Afeganistão, financiando e organizando grupos de arábes e acampamentos de milícias armadas no combate aos invasores soviéticos, porém sem muito sucesso (ao contrário da lenda estabelecida, nunca contou com o apoio dos Estados Unidos da América nesta atividade – o caráter voluntarista e amador de Bin Laden nos primeiros tempos era, inclusive, motivo de chacota entre os diversos outros grupos armados que combatiam os soviéticos nesta mesma época). Posteriormente estabeleceu-se como importante investidor no Sudão, onde iniciou, em paralelo às suas atividades empresariais, a organização que mais tarde viria a se denominar Al Qaeda, originalmente destinada a combater a família real saudita. Bin Laden detestava os modos ocidentalizados, perdulários, corruptos e “pouco islâmicos” da família real. Tinha como objetivo alijá-la do poder e implantar no país a semente do que sempre sonhou – o novo califado islâmico. A família real, por ironia do destino, possuia grande consideração para com a família de Bin Laden. ????? ?? ???? ?? ??? ?? ????), comumente conhecido como ” Leia mais aqui.

              Você pode gostar também de ler:
              The following two tabs change content below.
              Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.