Life is not easy – but it can be wonderful for you

Unfortunately, there isn’t a list of right things to do in a relationship. You have to find out them. Sometimes you’ll get it wrong, sometimes you’ll miss it, sometimes you’ll take it for granted, sometimes you’ll hit it. Life’s like that: learning from mistakes, learning the best from just living. The most important thing is not to live your life apart from your partner. You both have to do the things I said before: to hear, to share, to speak at the right time, to help each other. Sometimes one or other item won’t apply, but both of you can easily manage them. Even the problems you have to live together, so that both of you won’t have to go through separately, if you know what I mean. Live together everything.”

Trecho do texto que acabo de ler no blog do Zé. Não vou tentar traduzir – ele escreveu em inglês para ser uma confissão mesmo – mas recomendo a leitura integral. Gostei de tudo, em especial do que negritei, mas fiqueicom uma pitadinha de medo. Tenho medo de quem fala que a vida é simples. Acredito que a vida é boa e agradeço a Deus porque ela não é simples, é complexa e por isso mesmo um presente maravihoso.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook