entretenimento / sustentabilidade

20111113-124853.jpg

Imaginem duas salas de cinema desmontáveis carregadas no baú de um caminhão, com toda a estrutura de uma sala de cinema (inclusive ar condicionado e câmera 35mm) viajando e visitando periferias do Brasil. Agora pense que estas salas ficam sempre lotadas em suas sessões, privando que o brasileiro pode apreciar muito a cultura e sabe aproveita-la quando tem acesso. A viagem com uma câmera de 16mm para gravar um documentário por varias cidades do interior do Brasil, distribuindo cultura para quem nunca teve acesso é o projeto que conhecemos no primeiro dia do Fórum SWU.

Laís Bodanzky, cineasta premiada por Bicho de Sete Cabeças, trouxe ao Fórum Global de Sustentabilidade do SWU seu olhar sobre a intinerância do cinema pelo Brasil com oProjeto Cine Tela Brasil, que teve seu avanço através da iniciativa de Laís e do seu marido o roterista Luiz Bolognesi.

Ao levar as telas de cinema para cidades do interior do Brasil, na esperando de mostrar um novo olhar para pessoas de pouco acesso. Laís nos contou que ficou impressionada com o nivel crítico encontrado nas cidades em que passou. A cineasta conta que em 15 anos esse projeto não se depararam com a realidade retratada na mídia tradicional, mesmo contando com analfabetos ou pessoas com restrição cultural no público os debates realizados entre os filmes mostrados foram muito ricos de percepção e pontos-de-vista muito entusiasmados.

“O Cine Tela já teve mais de 800 mil expectadores nos sete anos de projeto, se desdobrando para outras frentes, entre elas oficinas com professores, espaços educativos, site para coordenação, exibições com convidados especiais (atores, diretores e roteiristas) e outros projetos patrocinados pela CCR e Fundação Telefônica.”

Contando atualmente com uma estrutura com ar condicionado, fechada, com mais de 200 lugares, que viaja com uma equipe especializada pelo Brasil levando filmes e curtas metragens brasileiros democrática e gratuitamente, o Cine Tela alcança quem será o consumidor de cultura do futuro. As crianças são o grande publico projeto, educando e tomando proporções que merecem o reconhecimento dentro do circuito e Mercado de audiovisual.

Acesse owww.telabr.com.br e sugira sua escola para receber o Cine Tela Brasil.

Este texto foi uma produção colaborativa feita a seis mãos, com anotações de Fábio Allves (@fabioallves e José Luiz Brandão (@zeoffline) que estão fazendo a cobertura do Fórum Global de Sustentabilidade SWU na equipe do @avidaquer. Venha com a gente. Vamos pensar juntos em um mundo de possibilidades!

Acompanhe o Fórum Global de Sustentabilidade conosco! #avidaquerNoSWU http://t.co/wPDNDNCO

E você pode ver os videos, de tudo que acontece aqui no SWU (e ao vivo) no Facebook, acesse www.Facebook.com/swubrasil.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas