cidadania
[update] Dica da @doduti neste dia de tristeza por conta do Terremoto de Toquio:
Outra coisa que acho importante é combinar um ponto de encontro da família. Se acontecer alguma coisa, como faremos para nos reencontrar? Voltamos todos pra casa? Pra escola mais próxima? As comunicações demoram a se reestabelecer em situações de crise, então o melhor é já ter combinado com antecedência pra onde todo mundo vai =)
E eu reuni em um post os perfis de Twitter e blogs de Brasileiros no Japão, além de postar um relato de um brasileiro que estava em Toquio.
[/update]

Nos dias que se seguiram ao terremoto em São Paulo , conversei com muita gente (até no ônibus e metrô) e a curiosidade sobre o fato de eu ter vivido alguns terremotos quando morava no Japão foi imensa. Prometi que ia escrever aqui sobre o kit terremoto, que deixou muita gente curiosa nas conversas.

No Japão, ele segue um padrão e pode ser comprado pronto em home centers ou supermercados grandes, mas aqui vai uma lista que imaginei para a realidade brasileira. Meio absurdo, porque na verdade as casas brasileiras não suportariam os abalos, como comentou Lunna , e uma das providências seria ter menos coisas que possam cair na sua cabeça ou obstruir sua passagem para escapar. Páre um minutinho e pense no quanto temos coisas assim nas casas brasileiras e imediatamente entenderá porque falo que é meio absurdo pensar nisto aqui. Mas vale como um insight para pensar sobre a forma como organizamos tudo. Se sua casa não tiver mesmo escape fácil, uma medida no caso de terremoto é se abrigar embaixo de uma mesa. Neste ponto a mesa de copa que herdei da minha avó, com tampo e pés firmes de imbuia, é perfeita, abrigaria nós todos.

Nunca usei o meu no Japão, mas em dois abalos eu cheguei a pega-lo nas mãos para escapar pela porta. Dizem que manter este kit a mão pode garantir a sobrevivência até que a situação se normalize. Se desejar se aprofundar sobre o tema, há uma lista bem completa da Cruz Vermelha Americana no San Francisco Chronicle. Nos EUA os terremotos são mais frequentes e há vários textos e fotos elucidativos sobre o tema.

Confira alguns ítens essenciais de um suposto do kit terremoto brasileiro:

  • Dinheiro vivo. Se realmente acontecesse um terremoto, não sabemos se os bancos vão funcionar e em caso negativo, nada de dinheiro de plástico.
  • Velas. Item útil em qualquer caso, embora não tenhamos mais o hábito de tê-las em casa. Não esqueça de fósforos ou isqueiro para acender, né?
  • Rádio, com pilhas novas. Estamos supondo que os veiculos de comunicação continuaram nos informando, mas as TVs podem se quebrar no abalo.
  • Produtos alimentícios enlatados ou desidratados
  • Água potável, lembrando sempre de verificar a validade
  • Um cobertor impermeável
  • Uma caixa de primeiros-socorros (anlgésico, anestésico, band-aid, etc)
  • Uma corda resistente
  • Uma lanterna com pilhas novas ou aquelas com dínamo
  • Cópias dos principais documentos pessoais
  • Caderneta com os telefones de amigos e familiares (caso perca o acesso ao celular)
  • Cartão de telefone (para usar o telefone público)
  • Sacolas plásticas (servem como balde no caso de ter que buscar água)
  • Filme plástico (tem mil e uma utilidades, já que estamos supondo, pense em coisas ao melhor estilo McGiver)
  • Tesoura
  • Capa de chuva e eventualmente uma muda de roupa.
  • Papel higiênico e toalha de papel.

Lembre-se ainda:

  • Caso tenha crianças acrescentar mamadeiras e fraldas descartáveis.
  • Caso haja idoso, acrescentar o que lhe for necessário, tal como remédios, fraldas, etc.

Ao chegar ao final, acredito que você mesmo tenha ponderado que é um exagero pensar nisto no Brasil, mas não custa deixar documentos e outras coisas num lugar fácil e protegido (até mesmo do fogo, né?). E serve para pensarmos em como precisamos verdadeiramente de pouco para viver e como temos coisas obsoletas. 😉

Você pode gostar também de ler:
Quando as novas regras para o transporte de crianças entraram em vigor festejei e apoiei a iniciativa
Nesta manhã estarei num evento que debate o que considero ser o coração deste blog:
Os pintores impressionistas encontram na cidade de Paris o grande emblema da modernidade. Mesmo quem
Mania de muita gente, o uso de filtros para as imagens que compartilhamos na internet
Estava lendo uma notícia no jornal no final de semana que dava conta de que
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas