cultura web

Lendo jornais e revistas no Samsung Galaxy Tab - foto de Sam Shiraishi - proibida reprodução e todos os direitos reservados

Há algum tempo troquei os jornais impressos pela versão eletrônica e não me arrependo. Primeiro eu lia pela internet, mas ainda tinha aquela mania de pegar no papel, a curiosidade pelas notinhas que não saiam nas versões online – e creio que não saem mesmo, mas fazer o quê, não dá para ter tudo na vida! Depois, com os smartphones (uso-os desde 2006 né gente?) eu passei a assinar os feeds de notícias e acompanhar tudo pelo agregador. Daí para as versões de aplicativos foi um passo fácil.

Depois do iPhone e do Galaxy Tab eu posso ler com facilidade muitos jornais – Le Monde e Guardian são dois dos que eu vejo diariamente – e também acompanho os dois maiores daqui, Estadão e Folha. Semanalmente eu também confiro revistas como Época e Veja em suas versões nos aplicativos.

E qual a diferença desta leitura? Para o leitor digital, o cara que se ajustou à leitura como eu, sem usar papel (que, convenhamos, é mais prática e deixa menos “resíduos” na natureza, além de evitar transporte do material físico), o grande valor de ler os jornais e revistas nos aplicativos é a facilidade para compartilhar o que se lê. Sim, eu sou “entusiasta” das novas mídias, mas acima de tudo eu gosto de gente, gosto de conversar, de ouvir ideias diferentes, de discordar, concordar, aprender e ensinar. E quando eu leio jornal na versão digital e posso compartilhar a notícia no Twitter ou Facebook, eu abro espaço pros amigos opinarem e conversarmos sobre o tema. Mais ou menos como se fazia com o jornal de papel ou a notícia no rádio antigamente, quando as pessoas tinham tempo para trocar ideias ao vivo… eu não me sinto só, pelo contrário, ao compartilhar o que leio eu encontro pessoas que se interessam pelo mesmo que eu.

😉

E aí, ficou curioso? Você pode ler como eu. Se tem leitor digital, vale baixar os aplicativos dos jornais. O Estadão tem uma versão nova com a vantagem de poder baixar todo conteúdo para leitura posterior, offline. Gosto do modelo do jornal porque me permite compartilhar as notícia em tempo real com muita facilidade, o que o concorrente não me permite. No aplicativo da Folha eu posso salvar minhas notícias favoritas, mas não as compartilho (com apenas um toque) nas redes sociais das quais participo. Mas, enfim, ambos são (por enquanto) gratuitos (apesar de que a nova versão do Estadão tem opção paga), o que já é uma vantagem. E a Folha perde espaço e presença porque não se ajustou ainda a esta “necessidade”.

[#ficaadica para os desenvolvedores pensarem…]

Outras alternativas para ser mais sustentável e começar a abrir mão das versões impressas dos seus jornais e revistas, são os feeds que podem ser lidos em vários celulares (se você tem internet em casa e ainda não colocou uma rede wi-fi, saiba que ela lhe permite usar o smartphone sem ter que aderir a um plano 3G e já lhe proporcionará acesso às redes sociais e leituras sem precisar sentar na frente do PC) e até mesmo no seu computador, para quem ainda prefere ler no monitor com conforto.

Alternativa também é curtir a página dos veículos no Facebook, algumas delas bem interativas e com atualização muito boa, como Veja e Folha. Para tanto, vale ver os veículos de comunicação que lhe interessam e clicar para assinar seus feeds. No geral estão todos concentrados numa só url, como fazem a Folha e o Estadão, a Época e a Veja.

Como assinar feeds e ler suas revistas, jornais e blogs na hora em que são atualizados

E se você nunca assinou feeds porque não entende bem o que é, vamos resolver isso já:

O que é?
RSS é a abreviatura de “Real Simple Syndication“, um “aviso eletrônico” de que tem o conteúdo atualizado nos seus sites e blogs favoritos. Com o RSS, você não precisa mais entrar em cada site para descobrir o que há de novo. As novidades chegam até você.

Como usar?
Basta usar um leitor próprio, conhecido como agregador. Ele pode estar no browsers (o navegador) como o Mozila Firefox e o internet Explorer 7, que incorporam leitores de RSS, num software que você instala (minha mãe usa o Windows Live Mail instalado no PC dela) ou simplesmente usar sua conta de gmail para ver no Google Reader.
Boas opções de leitura sobre RSS estão disponíveis no site da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

Como cadastrar os feeds de RSS?
Para inscrever o blog ou seção de um site num agregador, clique com o botão direito do mouse sobre o botão RSS e copie o atalho (basta clicar no botão copiar atalho que aparece no menu que se abre). Esse endereço deve ser copiado no agregador.

E agora, se você ainda não o fez, teste aí com o rss feed do A Vida Como A Vida Quer e confirme como é fácil! 😉

P.S. Se ainda ficou dúvida, vale ver este vídeo (em inglês, mas com legendas) que convence qualquer um a assinar feeds.

 

Posts Relacionados:

 

The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Latest posts by Sam @samegui Shiraishi (see all)


Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas