bem estar / destaque / medicina do esporte / oftalmologia

Antigamente uma família com alguma condição de incentivar os filhos no estudo detestaria a ideia de deixar uma criança sonhar em ser jogador de futebol. Sócrates, Zico e outros mudaram esta noção de que esporte era a solução para iletrados e para os bangunceiros da escola. Veio a geração que ganhou prestígio com futebol, recriando a vida fora de campo, como Raí e Leonardo. Depois vieram os que enriqueceram muito, como Ronaldo e Neymar. E assim, ser jogador de futebol passou a ser um sonho bem legal para as famílias.

Na geração dos meus filhos, o sonho de muitos meninos era ser youtuber de gameplay, ser pago para jogar videogame ou jogos em rede ou, no máximo, ser desenvolvedor de jogos. Mas olha, acho que jogar futebol continua sendo uma opção, especialmente pela saúde!

Fiquei sabendo que um estudo comprovou que as habilidades visuais de jogadores de futebol competitivos são substancialmente melhores do que as de não-atletas saudáveis, de acordo com a primeira avaliação abrangente da função visual em jogadores ingleses da Premier League, publicada na revista Science and Medicine in Football.

(Foto: joshdick75)

O oftalmologista Virgílio Centurion, diretor do IMO, Instituto de Moléstias Oculares, explica:

“A clareza visual média, a sensibilidade ao contraste e a rapidez de jogadores de futebol competitivos (tanto elitizados, quanto intermediários) foram significativamente melhores que as de não-atletas. No entanto, os resultados mostraram que não houve diferença na função visual entre os jogadores de elite e os intermediários.”

Quem é melhor?

Os jogadores defensivos mostraram uma maior rapidez do que os jogadores ofensivos.

De acordo com os pesquisadores, essa função visual pode ser particularmente útil para os responsáveis ​​por garantir que a defesa do time não seja quebrada e que precisam desviar rapidamente sua atenção e, portanto, olhar fixo entre vários oponentes em locais próximos e distantes.

No estudo, pesquisadores da Liverpool John Moores University, no Reino Unido, recrutaram 49 jogadores masculinos de elite de um clube de futebol da primeira divisão inglesa, além de 31 intermediários masculinos (nível universitário). Eles examinaram as funções visuais que são consideradas críticas para o desempenho esportivo de jogadores de diferentes níveis de habilidade e jogando em diferentes posições, usando o Nike SPARQ Sensory Station.

As avaliações incluíram clareza visual (capacidade de ver detalhes a uma determinada distância), sensibilidade ao contraste (capacidade de detectar um objeto contra um fundo), rapidez quase instantânea (capacidade de mudar o olhar e atenção entre distâncias próximas e distantes) e capacidade de focalizar um alvo. Os pesquisadores então compararam esses dados com aqueles de um estudo de 230 homens e mulheres não atléticos saudáveis ​​usando o mesmo aparato.

Segundo o oftalmologista Eduardo de Lucca, que também integra o corpo clínico do IMO,

“O estudo destaca a importância da boa visão no futebol e o potencial para obter uma vantagem competitiva através do apoio e do treinamento da visão. No entanto, os autores ressaltam as limitações do estudo e a necessidade de mais estudos para considerar as demandas visuais específicas da posição do jogador e o papel dos exames oftalmológicos regulares.”

De acordo com Simon Bennett, um dos autores do estudo, “embora esses resultados aumentem as evidências crescentes de que um bom nível de visão é importante em esportes de invasão dinâmica, estudos futuros precisam determinar a natureza precisa desse relacionamento com o desempenho em campo”.

Vale lembrar: esportes podem ser praticados até por pessoas que não têm visão plena.

 

Quando estive no Comitê Olímpico Brasileiro, conheci jogadores de Futebol de 5 e fiquei impressionada com a habilidade de desenvoltura deles.

Conheci e aprovei o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos #abracaRio2016

 

Você pode gostar também de ler:
Outro dia comentei que um apartamento em São Paulo será cenário de um dos episódios da
“Devido à natureza do mundo em que vivemos, nossas crianças passam por uma carga pesada
Você sabia que a bacia hidrográfica do Rio Formoso, no Tocantins, é a primeira e
Segundo estatísticas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil retomou sua economia,
Um dos filmes do #cinemaemcasa do nosso feriado foi o dinamarquês "Você desapareceu" (Du forsvinder). Escolhido
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas