Faltam motivos para você se cadastrar como doador de medula? Conheça o @joaobombeirinho #doemedula

“Seja o amigo oculto de alguém por toda a vida”
#doemedula

“Conhecido pelo sonho de ser bombeiro e por ter sido destaque em telejornais nacionais, João Daniel tem leucemia e já passou por 11 cirurgias e tratamentos de quimioterapia.”

Você certamente já ouviu falar de famílias que lutam bravamente para encontrar doadores de medula compatíveis. Eu já contei que quando eu estava para casar uma família nordestina foi apoiada por meus pais na fase de transplante de seu filho. Naquele caso o irmão era um doador compatível, mas nem todos os casos são resolvidos assim, como num romance. Quando moramos no Japão, em 1999, Gui substituiu na JB Communication uma moça boliviana que descobrira a leucemia junto com uma gravidez. O caso dela era muito delicado porque ela decidiu manter a gestação (e a filha nasceu bem, poucos meses antes do Enzo), além de ter um agravante: como mestiça (de hispânico e japonês) seu perfil biológico fugia do padrão japonês. Desde aquela época eu digo vou me tornar doadora de medula porque meu tipo (mestiça de japonês e alemão, com um pouco também de ancestralidade portuguesa) pode ser um destes raros de se achar. Mas, a vida é ocupada e a gente pode até desejar doar, mas vai deixando para amanhã, para semana que vem, para o outro mês, quando tiver mais tempo.

Bem, os pacientes que precisam da doação não têm tempo. Como no caso do menino que é o atual símbolo da luta contra leucemia nas redes sociais, o ‎@joaobombeirinho, cada dia é um novo dia de vida, mas também um a menos na busca por um doador em tempo de salvar a vida de quem precisa do transplante de medula.

Nem sempre ganhamos estas lutas. Outra família, a do menino catarinense Cauã, que teve sua história amplamente veiculada e ampliou muito o banco de doadores em Florianópolis onde vivia, não encontrou um doador compatível em tempo. E vendo histórias como a destes dois meninos eu sinto mais força para finalmente vencer a inércia, preencher o cadastro e ir ao local indicado para deixar uma amostra de sangue, permitindo que meu perfil biológico amplie a rede de doadores de medula no mundo.

Se você também gostaria de se cadastrar para ser doador de medula óssea e mora em São Paulo, A RMA Comunicação fará um mutirão em parceria com a AMEO (Associação da Medula Óssea) para coleta de sangue no próximo dia 28/06, das 13h às 17h, na sua sede em Pinheiros (Rua Cunha Gago, 700), buscando ampliar o cadastro do banco de doadores de medula óssea.

Que tal dar uma fugidinha do trabalho na hora do almoço, passar por lá com esta ficha preenchida e deixar algumas gotinhas do seu sangue? E se você não é de São Paulo mas gostaria de participar, faça o mesmo: reuna um grupo no seu trabalho, escola, faculdade, condomínio e promova um mutirão de doações também!

Posts relacionados:

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook