cidadania / destaque / relacionamentos

“Japoneses fizeram a festa ontem. Mas antes de irem embora do estádio, recolheram o lixo. COMO NÃO AMAR O JAPONÊS?”
@jurandirfilho

Sou neta de japoneses e morei no Japão por 2 anos. Meus filhos fizeram pré-escola bilingüe japonesa e hoje estão num colégio nipobrasileiro.

O que vejo de diferencial é algo plausível para nós: educação e humildade caminham juntas.

Com 1 e 3 anos meus filhos e colegas cuidavam da escola, limpavam seus calçados ao sair do parquinho e faziam companhia para as professoras enquanto elas mesmas mantinham a sala de aula em ordem. Não era um demérito varrer e tampouco estas atitudes de cuidado com o bem comum eram vistas com preconceito, como se fossem coisas inferiores, de pessoas iletradas ou do universo feminino. E os pais, mesmo pagando uma escola particular, nunca reclamavam das responsabilidades dos pequeninos, assistiam com orgulho, calma e paciência, sem também tentar fazer o que era competência das crianças.

Neste final de semana estive na festa junina no colégio dos meus filhos. Praticamente tudo é feito pelos alunos do Ensino Médio (e das ultimas séries do Fundamental 2, antigo ginásio), que, apesar de sua rotina super pesada (são 7 aulas por dia, com direto a 2 recreios e tb 2 provas fixas por semana), atuam felizes em conjunto. Tudo funciona incrivelmente bem numa admirável estratégia da escola para ensinar trabalho de equipe, empreeendedorismo e, o sobretudo, protagonismo. As equipes mesclam alunos de várias séries e eles criam equipes que “homenageiam” ( fazendo piada com os nomes de) professores da escola. São eles que fazem a decoração da quadra para a festa, cuidam das barracas e ensaiam as danças. Ao final, uma surpresa: todos ficam felizes com o trabalho de desmontar e limpar tudo. Sem reclamar, sem escapar, sem exigências. Sabem por que? São protagonistas desta história, da sua história, sentem-se donos da sua comunidade, agentes da sociedade.

Com ações assim que devemos ensinar aos nossos filhos. Devemos nos calar quando eles querem terminar o que começaram, devemos esperar orgulhosos quando eles precisam de mais meia hora no sábado à noite para limpar a escola, devemos sorrir quando eles querem ir as 7h da a manhã de sábado para arrumar a festa. Só assim criaremos um futuro no qual nossos filhos sejam como estes torcedores japoneses que limparam seus lugares no estádio depois do jogo de futebol.

(Crédito da foto: @jurandirfilho www.pic.twitter.com/EQ4KzlC5Ez)

P.S. Este post foi originalmente publicado na fanpage e lá tem uma conversa excelente sobre o tema! Siga abaixo.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas