destaque / mobilidade

 

64265_751017068268335_2630849287111459484_n

No último Salão do Automóvel eu vi muitas marcas investindo e mostrando modelos elétricos, mas na real não os vejo na rua e ainda não tenho amigos ou conhecidos que contam que optaram por um. O principal motivo, me dizem, é que pode te deixar na mão. Afinal, se acabar a bateria, demora para reabastecer e exige um lugar adequado, não é simples como parar num posto de gasolina/alcool e encher o tanque!

Ainda espero ver por aí carros elétricos de verdade, não só “pra inglês ver”. Este modelo da Renault que está na imagem, nós já vimos algumas vezes nas ruas de Curitiba. O compacto 100% elétrico, classificado como sendo da categoria de compactos urbanos será produzido no Brasil. Não há especificações quanto ao modelo que será produzido e comercializado no Brasil, porém, com base no que se vê na França, serão três versões, sendo equipadas com dois tipos de motor elétrico, uma com 20 cavalos de potência e outra com 5 cavalos de potência. Ainda segundo o modelo francês, a primeira versão alcançará uma velocidade máxima de 80 km/h, já a versão mais fraca alcançará apenas 45 km/h de velocidade máxima. A versão mais forte terá uma bateria com autonomia de aproximadamente 100 km.

Curiosidade: um acordo de cooperação tecnológica assinado ano passado entre Renault e a Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu (PR), fará com que 32 unidades sejam montadas dentro da usina. A intenção é montar um carro por semana em uma área especialmente preparada dentro do complexo hidroelétrico. Finalizado, serão usados exclusivamente para estudos e trabalhos internos. Os empregados também poderão usá-los pelo sistema car sharing (compartilhamento).

Os Twizys chegaram à usina em regime SKD (semi knock down) – ou seja, parcialmente desmontados. Na usina, o trabalho envolve a integração do sistema de tração, bateria e motor elétrico, além da carroceria – totalizando aproximadamente 90 peças.

1910266_751018394934869_1358852019807303296_n

No Salão, vimos também o carro eletrico da JAC, que saiu do padrão pequeno e só para cidade.

Pelo que li, a JAC Motors iniciou seus trabalhos neste segmento em 2010. O o JAC IEV – Intelligent Electric Vehicle (feito na China), exposto no Salão do Automóvel de São Paulo, corresponde à quarta geração dos modelos de propulsão totalmente elétrica da JAC na China. Dotado de larga autonomia e usando um menor tempo de recarga, o avanço contínuo das gerações vai tornando os carros elétricos cada vez mais práticos. O modelo exposto alcança velocidade máxima de 100 km/h e garante autonomia de até 170 km. O tempo de recarga é de 12 horas no modo lento e 6 horas na rápida, auxiliado por um pequeno poste portátil que faz a interface de tomadas. A propulsão é feita através de um motor 100% elétrico de 42 kW, alimentado por baterias de lítio.

Mas os investimentos em carros elétricos não visam exatamente os populares.

Temos um Sedan da Nissan e claro que eu gostaria de um Fusion Hybrid da Ford, mas custa quase 3 vezes mais! É dinheiro, né?

Enquanto não faço esta escolha, vou acompanhando as novidades tecnológicas e aguardando que os modelos cheguem ao meu padrão de consumo.

Uma das melhorias que me chamou atenção foi um novo aplicativo (MyFord Mobile) que permite aos motoristas de carros elétricos e híbridos plug-in conectar remotamente seu smartphone com o veículo para gerenciar a recarga e até selecionar a temperatura da cabine antes da viagem.

Veja mais detalhes e inspire-se (até numa possível nova área profissional):

my-ford-mobile_100393372_m

  • Intuitivo, com grafismos inspirados nos games e aplicativos de condicionamento físico – como bolas e balões de ar – para mostrar se o motorista está dirigindo de forma eficiente, com menor consumo de energia e emissões.
  • Classifica o seu estilo de dirigir nas categorias “Zen” (sereno) ou “Zippy” (vigoroso) e dá dicas para aumentar o rendimento.
  • Informao motorista quando ele atinge uma redução de CO2 suficiente para encher uma bola ou balão de ar quente, o sistema exibe emblemas e alertas ao registrar marcos de distância com emissão zero – como, por exemplo, o equivalente a uma volta em torno da Terra.
  • Dá dicas para melhorar a autonomia, como a otimização da frenagem regenerativa. O motorista também pode rever seus hábitos de direção ao longo do tempo e conferir como as mudanças no comportamento afetam o consumo de energia.
  • O recurso “Go Times” permite deixar o carro carregado e pronto para sair na data e hora selecionada, com a temperatura da cabine pré-ajustada. Quando está conectado, o carro usa a energia da rede em vez da bateria para aquecer ou resfriar a cabine. O aplicativo traz um mapa integrado que ajuda a localizar o carro, planejar as rotas e localizar estações de carga. Também pode ser personalizado com o nome e a cor do carro, com agendamento e perfis de carga.

🙂

Gostou? Sabe de outras novidades neste setor? Conte para nós!

Você pode gostar também de ler:
Neste ano meu filho mais velho completa 18 anos e - geração Uber - ele
Desde 1961, 12 de dezembro é o Dia Nacional do Cego, uma data que busca conscientizar a
A maioria das mensagens de texto que são transmitidas por dia contém questões parecidas com
Lembram-se que estou voltando a dirigir? http://www.maecomfilhos.blog.br/2017/08/mae-na-direcao.html   Pois é, e com isso voltou meu
Tenho um filho na contagem regressiva pelos 18 anos. É questão de meses! Avaliem meu
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas