Interação entre mídias sociais e TV

Campus Party 2009 por mariacarol.

Participei de alguns momentos marcantes deste flerte entre TV e mídias sociais na visita dos blogueiros ao Projac (em que Glória Perez fez um laboratório com os blogs, conversando com 50 players selecionados por Manoel Fernandes, da @revistabites), coberturas colaborativas em Twitter nos programas Roda Viva, Opinião Nacional e na TV Sesc/Cultura,  festas de lançamento de novelas como Paraíso,  Caras e Bocas e Viver a Vida com ampla cobertura nos blogs, twitters e flickr, experiências com plateia de blogueiros em programas como Altas Horas, Jô Soares. Vários programas, como Espelho, de Lázaro Ramos no Canal Brasil, têm uma interface 2.0 muito boa em blogs que convidam o telespectador/leitor a interagir. A mais recente experiência que tive com TV foi em consultoria para o programa Norma, que busca esta interatividade de várias formas (blog, skype, twitter) e contratou uma pessoa muito envolvida em mídias sociais para participar da produção do casting de sua plateia. (Infelizmente não vi a estreia do programa porque estava viajando, mas amanhã pretendo ver!)


O interessante nesta troca é que é preciso entender o player de mídia social como uma figura à parte, nem totalmente consumidor (porque ele tem um ou mais veículos na mão para “botar a boca no mundo”) nem como profissional de comunicação, porque de fato ele vive intensamente as experiências e é quase impossível que o blogueiro/twitteiro seja isento. Sem parecer parcial, admito que me surpreendi com a capacidade de Mônica Albuquerque, Diretora de Comunicação da TV Globo, de planejar a relação com as mídias sociais – e de entender este novo player.

Recentemente a Record, ao lançar seu novo portal R7, convidou a blogueira e tuiteira Rosana Hermann para assumir a direção de Criação e Produto do portal. Praticamente “nativa” de mídias sociais, @rosana sempre leva o “frescor” das novas mídias por onde passa.  Aliás, este frescor tem sido visível em situações como as transmissões de Formula 1 (#f1 no Twitter é bem melhor), novelas, prêmios (Emmy e Oscar sem Twitter é impensável, porque podemos “conversar” sobre tudo com o mundo inteiro). Em poucos dias viveremos outra situação destas pois o SBT promete montar bancadas com blogueiros para a cobertura colaborativa de todos os programas envolvidos na maratona do Teleton 2009, incentivando, como já fez a Globo no Criança Esperança, uma doação 2.0. Eu estarei lá e prometo contar tudo – ao vivo e nas redes sociais, claro!

Enfim, a interação entre TV e mídias sociais está vivendo uma evolução rápida e acredito que veremos um “casamento” duradouro. E hoje falarei sobre minha visão de “convidada desta festa” na aula Interação entre Mídias Sociais e Televisão para o curso de pós-graduação em Produção Executiva e Gestão da TV na FAAP.

(Na volta eu conto como foi!)

P.S. Não posso deixar de citar que um dos projetos de TV e rede social, o Mil Casmurros, foi um sucesso e mereceu o primeiro “Leão” brasileiro na categoria Relações Públicas no Cannes Lions! O troféu é concedido na categoria estreante de Relações Públicas e todos nós, que trabalhamos com as “novas mídias”, ganhamos um pouco com isso.


Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook