Hoje é dia de mergulhar no E-Commerce de Search & Vendas

20140214-001318.jpg

Nesta sexta acompanharemos a 3ª edição do Congresso E-Commerce de Search & Vendas e, ao longo do dia, postaremos updates com as inspirações e dicas de especialistas como Ricardo Nunes, Presidente da Ricardo Eletro, Jared Blank, VP E-Commerce da Tommy Hilfiger e Zia Daniell Wigder, VP e Research Director, GlobaleCommerce na Forrester Research.

O congresso tem como foco as estratégias de venda no comércio eletrônico, e ênfase na área de search marketing para o segmento, com uma super programação.

Alguns temas me interessam especialmente:

– Como o e-commerce no Brasil pode aprender com os BRICS, palestra de abertura com Zia Daniell Wigder, VP e Research Director, Global eCommerce na Forrester Research

– Marketing para um mundo digital, com Vicente Rezende, Diretor de Marketing, Marketplace, Mobilidade e Multicanalidade na Nova Pontocom

– Melhores práticas de uso do Facebook Ads no dia-a-dia do e-commerce, com Adriana Mesquita, Client Partnet do Facebook

Este último, em especial, tem muita afinidade com o trabalho que realizamos na Otagai, de engajamento de stakeholders digitais. Há uma grande confusão acerca do tema e muita gente vendendo gato por lebre…

20140214-000137.jpg
“Tem gente vendendo engajamento como número de fãs numa página de Facebook ou followers no Twitter. Calma, né? Engajamento é algo que é constante. A pessoa querer conversar e manter contato com você (ou a marca) é uma predisposição ao engajamento mas não o engajamento em si. Você não tem nenhum relacionamento com ela ainda. Ser Fã no Facebook não é engajamento.”
Carlos Merigo, citado no blog do E-commerce Brasil

Li esta frase num post no site do E-commerce Brasil (que promove o evento de hoje) que convidava os leitores a responderem algumas perguntinhas para avaliar se suas ações estão contribuindo para despertar o engajamento do público com sua marca.

São quatro pontos interessantes:

1. Confiança – Qual o nível de confiabilidade dos clientes em sua marca? Eles o apontam como referência?
2. Integridade – Seus clientes recebem de fato, toda a atenção que merecem?
3. Orgulho – Sua marca tem “a cara” de seus clientes?
4. Paixão – Existem manifestações positivas sendo feitas espontaneamente em relação a sua marca nas redes socias?

Apesar de não atuar diretamente com vendas, aprendo muito com este enfoque. Nesta linha, as 4 lições de Bruce Dickinson (aquele cara do Iron Maiden!) para o ecommerce brasileiro são muito úteis também, quer ver?

1) Conquiste fãs, não clientes. Ter um serviço e produtos de qualidade faz com que seus clientes vejam a marca como referência e a defendam a qualquer custo.
2) Venda relacionamentos. Muitas empresas têm reforçado a criação de conteúdo, porque não é só vender: é relacionar, informar e fomentar seu público alvo.
3) Sem imaginação não há invenção. Perceber a necessidade do seu nicho e resolver é o que todo mundo faz. O importante é como se faz, e fazer de forma criativa e inovadora, que não só solucione problemas, mas que mude o mercado.
4) O mundo dos negócios e o oceano. Desenvolver negócios é desenvolver algo valioso. Se você quer ficar no mercado, tem que pensar o que é valioso e o que seu negócio faz que é único e especial. O foco do seu negócio deve ser seu ‘fã’ e seu nicho. Não adianta ter um produto revolucionário, se o seu ‘fã’ não precisa ou deseja.

Gostou?

Acompanhe os updates no instagram.com/avidaquer, facebook.com/avidaquer e twitter.com/avidaquer ao longo do dia e aproveite para melhorar sua atuação nesta área!

[update]
Qual o segredo do Ricardo Eletro? Certamente que o carisma e a simpatia de seu inventor. E ele não para quieto nem por um segundo!

Da série meu passado me condena (ou me salva diariamente): eu também já fui vendedora de sapatos! Foi meu primeiro emprego, temporário, na C&A, ainda durante o curso técnico do CEFET-PR e me ensinou muito.

Ricardo Mendes, o super palestrante do momento aqui no E-Commerce de Search & Vendas, reforçou esta postura de “vendedor de sapato” que sabe atender o cliente como uma das características que devemos ter em qualquer tipo de comércio.

Você consegue manter esta postura no seu trabalho, no atendimento ao cliente e no posicionamento diante de escolhas de produtos que oferecerá?

20140214-120126.jpg

Quem não quer alcançar o sucesso de uma marca como Tommy Hilfiger?
Jared Blank compartilha dicas muito (mesmo) práticas no E-Commerce de Search & Vendas, em suas lições sobre a escolha e mudança da plataforma de e-commerce e (a seguir) sobre criação de conteúdo para vendas e engajamento de clientes.

Ouvi-lo aqui curiosamente me lembrou de uma fala de Leonardo Sakamoto ontem na roda de conversa sobre os rolezinhos em shoppings. O jornalista dizia que algumas marcas venderam tão bem e por tanto tempo a ideia de que são boas que agora devem é comemorar que todos as desejam. Ele citou Apple e Coca-Cola como marcas que representam não produtos e sim estilo de vida.

Antes de repensar ou começar seu negócio, vale a pena parar e pensar: o que eu realmente quero vender para meus clientes?

[/update]

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.