Hoje é dia de Cordel Encantado



"Curioso será ver Alinne Moraes como a Rainha-Mãe e não como princesa, esposa do rei Augusto, interpretado por Carmo Dalla Vecchia".

Antes mesmo de ganhar meu “repente personalizado” para me convidar a ver a novela, eu já tinha caído de amores por Cordel Encantado. E, não vou me fazer de rogada, ouvir minha história contada de um jeito que remete tanto a uma das manifestações culturais mais bonitas e tradicionais do meu País me ganhou sim. Afinal, “o repente é a poesia cantada, enquanto o cordel é o repente passado para o papel, vendido em livretos pendurados em cordões nas feiras populares”, diz o compositor Miguel Bezerra, autor dos repentes da novela.

[E eu adoro cultura popular, vocês sabem né?]

Mas tem mais do que isso na nova novela das seis que começa em poucos minutos na Rede Globo. Tem um capricho no visual que encantada qualquer um – até quem é mais fã de cinema do que de TV – e uma história de amor com direito a reis, rainhas, cangaceiros, plebeia que era princesa e mocinho que devia ser bandido. Uma das maiores falhas nas novelas atuais, creio eu, é uma apelação sexual (quem é tuiteiro lembra que a atual novela das oito é sempre criticada por isso) que não se sustenta num roteiro interessante, numa história que nos faça ter vontade de ver (independente de sabermos o que virá) o que os personagens viverão no capítulo seguinte.

“A trama tem como ponto de partida dois imaginários: as lendas heróicas do sertão nordestino e o encantamento da realeza europeia, ambos temas presentes nos poemas populares de cordel que tiveram origem na Europa da Idade Média.”

E é de lá que veio tanto repente, quanto cordel. “A arte do cordel tem origem na Idade Média, na Europa, quando quase não havia pessoas alfabetizadas. Uma vez por semana, no dia da feira, trovadores paravam na praça acompanhados por um alaúde e começavam a contar histórias de todos os tipos. Para ajudar a memória, eles passaram a contar suas histórias em versos. Com o tempo, as rimas começaram a ser impressas em folhetos, alguns ilustrados com xilogravuras, expostos para venda em cordas, ou cordéis (nome originado em Portugal). A literatura de cordel chegou ao Brasil com nossos colonizadores, se espalhando da Bahia para outras regiões do Nordeste.”

E Cordel Encantado vai juntar perfeitamente estes dois mundos e retratar o encantamento da realeza europeia com as lendas heróicas do sertão brasileiro através da história de amor de Açucena (Bianca Bin), uma cabocla brejeira criada por lavradores no nordeste do Brasil sem saber que é a princesa de um reino europeu, e Jesuíno (Cauã Reymond), um jovem sertanejo que desconhece ser filho legítimo do cangaceiro mais famoso da região.

Então vamos à novela. E se você usa Twitter, não deixe de comentar lá – não tem jeito mais gostoso de ver TV do que com amigos, né?

:-)

Google+ Comments

Tags: TV,

Comente, compartilhe! ;)

9 respostas para “Hoje é dia de Cordel Encantado”

  1. hoje é dia de Cordel Encantado – vamos ver juntos? http://bit.ly/e7cc6O

  2. Ai, como queria estar em casa pra ver! RT @samegui: hoje é dia de Cordel Encantado – vamos ver juntos? http://bit.ly/e7cc6O

  3. RT @samegui: hoje é dia de Cordel Encantado – vamos ver juntos? http://bit.ly/e7cc6O

  4. RT @samegui: hoje é dia de Cordel Encantado – vamos ver juntos? http://bit.ly/e7cc6O

  5. Angela disse:

    Sam, adorei!! Um lado lúdico com Rei e Rainha e a realidade do sertão! Já virei Fã.

  6. eduarda disse:

    eu adoro cordel encantado pois a prinsesa aurara deve fica com principe filepe

  7. eduarda disse:

    eu sou fã de todos da novela cordel

Deixe uma resposta

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.