Dúvidas comuns sobre hérnia de disco #SaudeNasRedes

tudo sobre hernia de disco

Neste final de semana eu conversava com duas amigas sobre as questões que teremos que enfrentar com a longevidade que se promete tanto para a humanidade nas próximas décadas. A expectativa de vida dos nascidos com minha filha Manuela é de 120 anos… isso quer dizer que de 2013 a 2133 ela e seus coleguinhas estarão por aqui e para isso precisarão cuidar muito da saúde.

No papo falamos também dos nossos pais e do quanto a capacidade de locomoção é significativa para mantê-los bem, apesar da idade que avança. Meu pai, que completou 71 anos neste mês, passou por um perrengue com uma hérnia de disco há alguns anos e a experiência nos mostrou que é preciso cuidar muito deste aspecto também. Por isso decidi trazer o assunto para cá e compartilhar com os leitores.

Primeiro, uma surpresa: não é problema de aposentado não!

A hérnia de disco lombar é uma patologia de alta incidência na população de adultos jovens, entre 20-50 anos, pois nesta idade é comum a ruptura do ânulo fibroso (porção externa do disco) em atividades rotineiras como levantar um peso, ficar muito tempo sentado, trocar um móvel de lugar, etc. Nesta faixa etária, a porção interna do disco (núcleo pulposo) encontra-se bastante hidratada, quando ocorre a ruptura do ânulo externo, este material pode extravasar e causar a compressão de uma raiz nervosa, fisiopatologia da hérnia de disco extrusa. Quando este fragmento extravasa, é gerado um processo inflamatório associado à compressão da raiz nervosa, como consequência isto gera dor no trajeto cutâneo inervado por esta raiz (dermátomo). O nome clínico deste sintoma é ciatalgia ou dor ciática, dor que inicia em região lombar ou glútea e se irradia pela face posterior da coxa, perna e pode chegar até o pé.
Em geral, a dor aguda dura poucos dias e o alívio é gradual em 1-4 semanas, em torno de 90% das vezes isto pode ser controlado com medicação e o material herniado (extravasado) volta para o interior do disco.
Já os casos de dor refratária, que não passam com medicação ou que estão causando muita compressão radicular (sintomas de adormecimento da perna, dificuldade em movimentar o pé, alterações do reflexo aquileu ou sintomas esfincterianos) podem necessitar de cirurgia com o intuito de aliviar a dor e prevenir sequelas neurológicas.

Quem explica é o neurocirurgião e especialista em coluna Eduardo Iunes, que responde as dúvidas mais comuns sobre o problema:

O que é uma hérnia de disco?
Muitos pacientes com dor nas costas, dor nas pernas ou fraqueza dos músculos dos membros inferiores são diagnosticados com uma hérnia de disco. Quando ocorre uma herniação do disco, o amortecedor que se situa entre as vértebras da coluna vertebral é empurrado para fora da sua posição normal. A hérnia de disco seria um problema menos importante, se não fossem os nervos espinhais, que estão localizados muito próximos da borda desses discos intervertebrais.

O que é um disco da coluna vertebral?
O disco vertebral é uma espécie de amortecedor, que fica entre cada vértebra da coluna vertebral. Este disco da coluna vertebral torna-se mais rígido com a idade. Num indivíduo jovem, o disco é macio e elástico, mas assim como muitas outras estruturas do corpo, o disco gradualmente perde a sua elasticidade e torna-se mais vulnerável à lesões. Mesmo em indivíduos a partir dos 30 anos, as ressonâncias magnéticas mostram evidências de deterioração do disco em cerca de 30% das pessoas, mas isto normalmente não causa problemas.

O que acontece quando há uma herniação de disco?
À medida que o disco da coluna torna-se menos elástico, ele pode se romper. Quando há a ruptura de um disco vertebral, uma porção do disco é empurrada para fora do seu limite normal: isto é uma hérnia de disco. Quando uma hérnia de disco estende-se para fora, entre as vértebras, os nervos da coluna vertebral e da medula espinhal podem ficar comprimidos. Normalmente, há um pouco de espaço extra ao redor da medula espinhal e dos nervos espinhais, mas quando há a ruptura do disco vertebral, a herniação é empurrada para fora do disco, provocando a compactação dessas estruturas.

O que provoca a herniação do disco?
Quando o disco se rompe e a hérnia de disco é empurrada para fora do disco, os nervos podem ficar presos. A hérnia de disco pode ocorrer de repente, devido a um evento especial, como uma queda ou um acidente, ou pode ocorrer gradualmente com o esforço repetitivo da coluna vertebral. Muitas vezes, as pessoas que sofrem com uma hérnia de disco apresentam também estenose da coluna vertebral, um problema que causa estreitamento do espaço ao redor da medula espinhal e dos nervos espinhais. Quando ocorre a herniação do disco, o espaço para os nervos fica ainda mais reduzido e há profunda irritação nervosa.

Quais são os sintomas da hérnia de disco?
Quando a medula espinhal ou os nervos espinhais se comprimem, eles não funcionam corretamente. Os sintomas mais comuns de uma hérnia de disco incluem:
· Dor de choque elétrico
A pressão sobre o nervo pode causar sensações anormais, comumente experimentadas como dores de choque elétrico. Quando a compressão ocorre na região cervical, os choques descem para os braços, quando a compressão é na região lombar, os choques descem as pernas.
· Formigamento e dormência
Os pacientes muitas vezes têm sensações anormais como dormência ou formigamento. Estes sintomas podem ser experimentados nas mesmas regiões dolorosas das sensações de choque elétrico.
· Fraqueza muscular
Por causa da irritação do nervo, os sinais do cérebro podem ser interrompidos, causando fraqueza muscular. A irritação do nervo também pode ser testada por análise de reflexos.
· Problemas de intestino ou bexiga
Estes sintomas são importantes, pois podem ser um sinal da síndrome da cauda equina, uma possível condição resultante de uma hérnia de disco. Esta é uma emergência médica. O médico deve investigar imediatamente se o paciente tem problemas para urinar, evacuar ou se tem dormência em torno de seus órgãos genitais.

Como é feito o diagnóstico de uma hérnia de disco?
Na maioria das vezes, o médico pode fazer o diagnóstico de uma hérnia de disco por meio de um exame físico, através dos testes de sensação, força muscular e dos reflexos. A ressonância magnética é também comumente usada para ajudar a fazer o diagnóstico de uma hérnia de disco. É muito importante que os pacientes entendam que a ressonância magnética é útil apenas quando empregada em conjunto com os resultados do exame físico. É normal que uma ressonância magnética da coluna lombar apresente anomalias, especialmente em pessoas de idade avançada. Pacientes em seus 20 anos também podem começar a apresentar sinais de desgaste do disco, o que seria esperado em exames de ressonância magnética de pacientes em seus 40-50 anos. Por isto, o médico deve interpretar os resultados da ressonância em conjunto com os demais exames realizados. Fazer o diagnóstico de uma hérnia de disco e chegar a um plano de tratamento adequado depende dos sintomas experimentados pelo paciente, os achados dos exames físicos e os resultados dos exames de imagem.

Como é feito o tratamento da hérnia de disco?
Na maioria das vezes, o tratamento de uma hérnia de disco começa de maneira conservadora. Após o diagnóstico de uma hérnia de disco, o tratamento geralmente começa descanso e modificação de atividades, evitando as que agravem os sintomas. Muitas hérnias de disco irão se resolver sozinhas com o tempo. Gelo e aplicação de calor podem ser extremamente úteis no alívio dos sintomas dolorosos de uma hérnia de disco – por relaxar os músculos das costas, aplicações de gelo e calor podem aliviar espasmos musculares e proporcionar um alívio significativo da dor. A fisioterapia e exercícios de estabilização lombar não afetam diretamente a hérnia de disco, mas podem estabilizar os músculos da coluna lombar, diminuindo a carga experimentada pelo disco e pelas vértebras. Músculos mais fortes e bem equilibrados ajudam a fortalecer a coluna lombar e a minimizar o risco de lesões aos nervos e ao disco vertebral.Nos casos mais graves, medicamentos para reduzir a inflamação são prescritos, aliviando a pressão sobre os nervos comprimidos.

A cirurgia é necessária no tratamento de uma hérnia de disco?
Como mencionado, o tratamento de uma hérnia de disco geralmente começa com as etapas listadas acima. No entanto, o tratamento cirúrgico de uma hérnia de disco pode ser recomendado logo após a lesão, se há um déficit neurológico significativo. Sintomas de dor e anormalidades sensoriais normalmente não requerem intervenção imediata, mas os pacientes que têm fraqueza significativa, evidências de síndrome da cauda equina ou de um problema progredindo rapidamente podem necessitar de tratamento cirúrgico mais rápido. A cirurgia é realizada para remover a hérnia de disco e liberar espaço ao redor do nervo comprimido. Dependendo do tamanho, da localização da hérnia e dos problemas associados (tais como estenose espinal, artrite), a cirurgia pode ser realizada por várias técnicas.

Vale ressaltar:

Nem toda lombalgia (dor nas costas) é problema de hérnia ou ciático, como dizem popularmente. Na Biblioteca Virtual de Saúde informa-se que a maioria dos casos de hérnia de disco regridem com repouso no leito, sem necessidade de cirurgia, pois a hérnia murcha e deixa de comprimir estruturas importantes, como os nervos. O tratamento cirúrgico está indicado apenas nos 10% dos casos em que a crise não passa entre 3 a 6 semanas, ou em pacientes que têm crises repetidas em curto espaço de tempo ou quando existem alterações esfincterianas.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook