Guarda compartilhada cria polêmica

Em novembro de 2007 eu postei sobre a Guarda Compartilhada , o que na época era um projeto. Aprovado há cerca de um mês, ele reascendeu a discussão lá no post antigo e tenho recebido diariamente comentários contra e a favor, alguns exataltados, mas todos mostrando um lado da situação que os pais e mães vivem quando precisam viver separados dos seus filhos.

A discussão tem me deixado surpresa e, confesso, contente. A blogosfera é válida porque constrói a partir da opinião de diversas pessoas comuns, como eu e você, que podem contar suas versões dos fatos numa ajuda mútua para encontrar um denominador comum.

Entendo esta lei como a percepção de que o homem se tornou mais participativo na vida familiar e agora é alguém que deseja um contato mais próximo com os filhos, mesmo se (ou depois) de separado.

E você, o que pensa da guarda compartilhada?

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook