Green Book

Vencedor de uma das categorias de melhor filme no Globo de Ouro de 2019, “Green Book – O Guia” chegou como um dos indicados ao mesmo prêmio no Oscar 2019 e levou as categorias de Melhor Ator Coadjuvante (para Mahershala Ali) e de Melhor Filme.

Em uma disputa acirrada e de difíceis previsões, o filme dirigido por Peter Farelly em sua estreia como diretor-solo era um dos favoritos com sua história simples, mas repleta de humor e críticas, além de atuações dignas também de indicações de Viggo Mortensen e Mahersala Ali.

 Tony Bocudo (Mortensen) está desempregado desde o fechamento da boate em que trabalha, por tempo indeterminado. Cidadão de ascendência italiana e morador de um bairro da periferia de Nova York, Tony acaba aceitando um emprego como motorista do Dr. Shirley (Mahersala), um pianista negro e renomado.

Uma situação incomum para o início dos anos 1960 (época em que se passa a trama) nos Estados Unidos, um branco, com tendências preconceituosas, mas desempregado, trabalhando para um negro rico e considerado “culto” pela alta sociedade. Os dois viajam por meses e percorrem boa parte do país no automóvel dirigido por Tony. Dr. Shirley é sempre frio e por vezes arrogante, enquanto Tony comporta-se de modo grosseiro na maioria das vezes.

Ambos se desentendem diversas vezes no início da viagem, mas como era de se esperar, acabam aprendendo muito um com o outro. Entretanto, o humor realista adotado ao longo de toda a obra retrata ao mesmo tempo a situação do racismo no Estados Unidos como as diferenças morais e sociais dos personagens com muita sutileza, de modo que a previsibilidade dos acontecimentos se oculte, dando espaço tanto para expectativas quanto as personagens como a reflexões do conservadorismo da sociedade retratada. Tony passa aos poucos a valorizar a honestidade e os valores de Dr. Shirley, que por sua vez se torna mais feliz em relação à vida e à sua situação.

O roteiro é possivelmente um dos mais fortes dos filmes indicados, com sequências de diálogos cômicos e introspectivos. Além disso, a fotografia e trilha sonora, típica da época em que se passa a trama, ainda que não indicadas ao Oscar, completam Green Book da maneira certa.

Nota da Editora:

O título do filme foi influenciado pelo livro The Negro Motorist Green Book, informalmente chamado de Green Book, que se tratava de um guia turístico para viajantes afro-americanos, escrito por Victor Hugo Green para ajudá-los a encontrar dormitórios e restaurantes favoráveis.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.

Daniel Benites

Estudante de jornalismo, amante eterno dá sétima arte, não passo uma semana sem frequentar às telas. Adoro viajar e ter novas experiências, toco em uma banda e espero um dia escrever um livro (ou vários).

Latest posts by Daniel Benites (see all)

Comentários no Facebook