Gostei! Usando o carro de modo mais sustentável #dirigebonito

20111129-170029.jpg

Outro dia, eu estava no trânsito entre um compromisso e outro (geralmente deixo um dia da semana para fazer tudo que preciso fora do escritório, otimizando meu tempo e o combustível gasto) e uma amiga me mandou um tuite com estas dicaspara deixar seu carro mais sustentável.

Gostei das sugestões e repito-as abaixo, mas deixo a ressalva de que sustentável mesmo é reduzir o uso de carros, privados ou públicos. Além de insistir para a redução dos veículos privados (aqueles carros com apenas um ou dois passageiros rodando e que ocupam – e poluem – como muitos!), é importante repensarmos o modelo das nossas cidades, evitando trânsito supérfluo (vale mesmo a pena ir “naquela” loja imensa no centro da cidade só para pagar um pouquinho mais barato?) e procurarmos novos modelos para nosso cotidiano no que diz respeito ao trabalho, educação, consumo de cultura.

Começar a apropriação das nossas regiões é tão importante quando reduzir o consumo quando começamos a batalhar por uma vida mais sustentável!

Mas, enfim, vamos às dicas:

– O motorista deve se certificar de que os locais de descarte dos resíduos do seu como, como óleos, pneus e peças, tenham realmente como destino final a reciclagem.

– Seja obsessivo na regulagem do carro, já que, quando funciona de maneira correta, o veículo terá a menor emissão de poluentes possível.

– Faça sempre a manutenção preventiva.

– Opte por lava-rápidos e postos de lavagem que se comprometam com o uso econômico da água. E, quando lavar em casa, tente ao máximo possível economizar água.

– Sempre que possível, deixe o carro em casa e caminhe, pegue uma carone ou use o transporte público.

Segundo li, essas e outras estão no Guia do Motorista Sustentável que está circulando em São Paulo.

P.S. Se o tema lhe interessa, tem muitos posts sobre o assunto na categoria Trânsito e aqui um vídeo no qual debatemos o assunto no Dia Mundial Sem Carro de 2011.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook