bem estar / conversas de cozinha / destaque

Um soco no estômago: é mais ou menos essa a sensação ao ver Food Matters, o documentário australiano sobre nutrição e medicina que está disponível no Netflix Brasil.


Mas, passado o susto, é um programa que prende a atenção, enche a cabeça de boas caraminholas e ensina muito.

O filme confronta a medicina tradicional com a ortomolecular, a medicina baseada na nutrição, demonstrando o quão equivocada está a nossa maneira de tratar as doenças.

Tem também um desconforto que parece nos levar aos discursos ideológicos ao mostrar o ciclo vicioso da agricultura extensiva, que diminui muito os nutrientes do solo, gerando plantas mais frágeis aos ataques de pestes, necessitando a aplicação de pesticidas, que as contaminam, que acabam envenenando quem as come, que se tornará mais fraco e buscará medicamentos. 


Mas a lógica da perda de nutrientes pelo envelhecimento da comida através do transporte e pela própria carência de minerais do solo e o processo de cozimento dessa comida, que acaba com os elementos essenciais para a vida, contribui ainda mais para esse terrível quadro nutricional, vence a reação negativa.

Para mim foi extremante útil saber da relação de vitamina C e alimentos ricos em niacina (vitamina B3) com casos de depressão. E há uma parte longa e elucidativa sobre câncer. 
Recomendo!


Estatísticas