Que saudade de Paraty – e da Flipinha!

flipinha paraty

Quem vai entender o coração viajante? Amanheci com saudade de Paraty.

🙂

E para pensar em um jeito de matar a saudade, fui conferir quando será a FLIP neste ano – e como imaginei, será depois da Copa do Mundo.

A 12ª edição da Flip acontece de 30 de julho a 3 de agosto de 2014. Realizada sempre no início de julho, terá esta data em função da Copa do Mundo, que será em julho no Brasil.

Millôr Fernandes é o autor homenageado da 12ª edição da Festa Literária de Paraty, que terá a curadoria do editor e jornalista Paulo Werneck.

É a primeira vez que a Flip homenageia um autor contemporâneo — e que já esteve na Tenda dos Autores. Millôr foi um dos convidados da primeira edição da Flip, em 2003. Dramaturgo, editor, tradutor, artista gráfico, uma das figuras mais marcantes da imprensa brasileira, Millôr recebe destaque em Paraty dois anos após sua morte, em março de 2012, aos 88 anos. Mestre do humor, Millôr reunia o mundo da Flip num homem só: circulando por várias áreas do conhecimento, com trabalhos tão diversos quanto a tradução de obras de Shakespeare, o cartum, o jornalismo e o hai-kai, dissolveu fronteiras e promoveu a integração entre as artes.

Já me entusiasmei com a ideia de ir em família, afinal, a FLIP é um primor para crianças e adolescentes. Quando estive lá, vi ao vivo a façanha de reunir 24 autores para falar de literatura com crianças durante 5 dias. Escritores e ilustradores em mesas de debates com crianças e professores, que podem também participar de oficinas, leitura de livros e centenas de apresentações de escolhas dos visitantes: isso sim é uma festa e um estímulo impar ao consumo de cultura!

Como disse Cristina Maseda (que já foi coordenadora-geral do evento educativo) “a Flip é um momento em que todas as atividades dos programas educativos de incentivo à leitura, formação de bibliotecas comunitárias e escolares, capacitação de professores, que ocorrem ao longo do ano pela Flipinha, têm sua culminância”.

Não se trata apenas de visitar uma feira de livros, mas sim de viver a cultura na praça, nas casas, nas escolas.

Os organizadores idealizaram o que parece um sonho para pais e professores: transformar a sede da festa em uma cidade literária, não somente como sede de um evento literário, mas onde a literatura seja valorizada e seja lida por todos os seus moradores.

Assim, nos últimos anos, há um trabalho que dura o ano todo visando incentivar a leitura, capacitar professores e formar alunos-leitores. O resultado, que provamos nos dias da FLIP, que (exceto em Copas do Mundo no Brasil) acontece no início do mês de julho na cidade do litoral paulista, é a valorização do patrimônio cultural e geração de emprego e renda em Paraty.

Este objetivo é algo que todos nós podemos buscar em nossas cidades. Estimulando projetos de bibliotecas – reforçando as fixas ou criando bibliotecas itinerantes -, participando de eventos que aproximam a literatura das crianças, doando tempo (dinheiro, obras, divulgação) para atividades que incentivem a aproximação da literatura.

Parece difícil? Mas é simples: comece aí, na sua família, pegando hoje um livro e lendo com prazer na companhia dos seus filhos. Toda sociedade vai sair beneficiada pela formação de mais um leitor feliz.

blog pequenos leitores

O blog Pequenos Leitores traz indicações de leitura (e cultura) para crianças e é escrito por um coletivo de pais blogueiros.

Esperamos que pais, avós, tios, escritores e ilustradores aceitem o convite e que passem nos nossos canais, mesmo que em microposts ou fotos e videos com “duas linhas de texto” um pouco da experiência cotidiana da formação dos novos leitores do Brasil.

Faça parte da nossa turma!

[update]
Aproveitando um comentário do leitor Rafael, lembrei de indicar duas pousadas nas quais já me hospedei em Paraty:
A cidade é um destino caro e fica mais salgado ainda na FLIP, mas há muitos padrões de pousada e com certa organização e planejamento dá para ir em família.
Para a FLIP recomendo um local perto do centro, como a Pousada Azul que tem o padrão mínimo para quem vai ficar mais fora do que dentro do hotel.
Para passear fora da festa literária, tivemos uma temporada deliciosa na Pousada Caminho do Ouro que tem um padrão super simpático, quartos que acomodam famílias (ficamos em 4 lá) e um rio incrível nos fundos, que garante diversão fora do padrão para as crianças. E, para completar, o restaurante deles é bárbaro.

[/update]

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook