mãe

O Enzo fez um post divertido sobre seu aniversário, está no Ver Para Crescer: Atualização 1.2 do sistema.

😉

Eu me tornei mãe numa véspera de Dia das Mães, em maio de 2000, e desde então este dia acaba sendo meu e do Enzo. Dividimos com um amor multiplicado e acabou se tornando uma tradição a gente começar a planejar em abril o que faremos no nosso final de semana especial. Acontece que neste ano eu me vi numa emoção dupla e confusa: tinha apresentação musical do filho caçula no café da manhã da festa das mães na escola – o mais velho, que está no fundamental 2 (antigo ginásio) não tem mais apresentações (sim, amigos, elas acabam, aproveitem todas!).

Contei isso na minha coluna do site de Pritt no começo do mês e hoje volto aqui para fazer uma confissão e para contar que foi tudo muito bem! Perdi o café das mães na escola para ficar com o aniversariante, mas cheguei a tempo da apresentação que se mostrou uma festa inovadora. Nestas ocasiões em que a simplicidade reina e vejo na escola dos meninos um esforço sincero de integrar os pais nas atividades, criando chances de convivermos com os outros pais e mais ainda com nossos pequenos no ambiente escolar (e de forma lúdica, ativa e animada) eu sinto que estamos no lugar certo.

sam shiraishi foto da festa das mães - proibida reprodução e todos os direitos reservados

A festa, que aconteceu no ginásio coberto (com mães e filhos sentados no chão!), cada mãe teve um professor particular e as brincadeiras e músicas (cheias de coreografias!) eram as aulas nas quais fomos revendo os conteúdos já aprendidos neste ano. Rimos, dançamos, cantamos, respondemos a perguntas (prova oral?) e ganhamos muitos abraços e beijos de parabéns dos nossos preceptores mirins. Ao final fomos todas ao palco para desfilar nossos presentes de graduação (ecobags para as compras) e ganhamos aplausos e muitas fotos dos nossos paparazzi! Como disse, tudo muito gostoso, como a vida em família deve ser. E a escola deve ser uma grande família, temos mesmo que conviver  com os outros pais e com os amigos dos nossos filhos, temos que brincar com os professores, pagar mico dançando errado, cantar em voz alta e desafinada, conviver com quem está lá todo dia com os nossos tesouros.

🙂

E a confissão…

Bem lá, no começo, eu achava que os preparativos e ensaios para as festinhas com apresentações para os pais eram uma perda de tempo. Cheguei a postar contra as Festas Juninas lá no blog, há alguns anos – o @avidaquer fez 7 anos em abril, é um tempão em termos de internet – e fui convencida do contrário pelos amigos leitores e por meus próprios filhos. Cada vez que um deles me chamava para treinar a quadrilha da festa ou cochichava com pai contando dos detalhes da festa surpresa na escola para o Dia das Mães eu me derretia vendo o quanto se aprendia e se amadurecia com as festividades.

Para a criança estas oportunidades são mais do que “obrigações” da escola. São a chance de fazer algo (com as próprias mãos, pois não raro as escolas fazem artesanato para presentear as mães) para quem sempre está lhes oferecendo tudo. É a chance de mostrar que estão crescidos, capazes, saudáveis e fortes, mas acima de tudo a oportunidade de demonstrar gratidão, de retribuir e de mostrar que aprenderam bem com a gente como amar e tratar bem quem se ama.

Feliz Dia das Mães!

E o aniversário do filhote?

EnzoBuzz filho de sam shiraishi feliz aniversario camiseteria[Agora o meu #aos11 virou #aos12!]

Cheguei da festinha na escola e ele ainda estava aproveitando animado o presente. Fizemos uma pausa nas brincadeiras para sair e almoçar num restaurante legal (tradição aqui é sairmos em família para uma refeição especial escolhida pelo aniversariante) e na volta comemos bolo juntos por aqui mesmo. Ao final do dia ele me brindou com uma frase deliciosa: “Foi meu melhor aniversário, mamãe, porque hoje fizemos só o que a gente gosta!”.

A gente tem mesmo muito a aprender com as crianças sobre ser feliz, não é mesmo?

[update]

Leia também os outros posts da Semana @maecomfilhos 2012 no @avidaquer:

Empreendedorismo materno e @ciadasmaes 

De Seja Feliz Meu Filho a Mulher Sem Script, entrevista com @natercia_tiba

Uma rede para reunir as mães que nascem quando chega um bebê (entrevista com @tatianapassagem do @redemulheremae)

“Antes de ser mãe, eu nunca…” (ou O que eu realmente queria de Dia das Mães)

A gente tem mesmo muito a aprender com as crianças sobre ser feliz!

[/update]
Você pode gostar também de ler:
  Esse texto é para você, que assistiu o filme e está fritando para ler
Aziz e Fatima Ansari em Master of None No mês das
A gravidez na adolescência teve uma queda de 17% no Brasil segundo dados preliminares do
Estudo comprova que a necessidade evolutiva de proteger o bebê expande habilidades das mães Uma
Ali Wong - Baby cobra Nesse final de semana vi "Ali
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas