cultura web

Li outro dia no De repente que o Foursquare (#4sq) atingiu neste domingo a marca de 3 milhões de usuários. Rafael Sbarai dava um panorama do site baseado em geolocalização criado em março de 2009 e que evoluiu de forma vertiginosa e contou que em julho a rede passou de 100 milhões de atualizações de dados de entrada de usuários em diferentes locais, conhecido como check-in – o que corresponde a um tuite.


Eu ainda uso pouco o #4sq porque não tem aplicativo para symbian (plataforma do meu celular) e porque, no fundo, eu tenho certo receio da exposição exagerada. Mas outro dia, quando eu estava no mercado, recebi um tuite que me fez pensar no quanto o ambiente do #4sq está impregnado no meu cotidiano.

@nerdpai tuitou: Onde vou em SP tem dicas da @samegui http://twitpic.com/2jevu9

E tinha lá uma dica minha sobre a Pinacoteca. Mas eu também já segui as dicas dele sobre bares no bairro onde, graças ao #4sq, eu descobri que somos vizinhos. Eu já tinha amigos que moram perto e que descobri por Twitter, mas Jorge e Fabiana são os primeiros que conheço via rede de geolocalização. E, para comprovar a assertividade do algoritmo deles, estamos sempre nos “esbarrando” nos checkins, sinal de que temos mesmo afinidades né?

Mas a gente está “fora da curva”…. hoje li que “as pessoas que nasceram depois de 1981 são so que mais usam aplicativos de geolocalização porque tendem a ser menos exigentes com a privacidade na internet do que as que nasceram antes delas”. A afirmação é do executivo-chefe da Loopt, empresa que faz aplicativos de geolocalização (informações do GPS) e, embora conte com dados estadunidenses, acho que aqui não é muito diferente de lá onde  (segundo a Forrester Research) dizem que só 4% dos americanos já tentaram usar os aplicativos de geolocalização. E, se contarmos que só 1% os utiliza semanalmente, a coisa não parece ter futuro.

E você, usa a geolocalização com frequência e tranquilidade?

Posts Relacionados

Você pode gostar também de ler:
Hoje é Dia do Quadrinho Nacional, galera! E claro que nerd como sou, não poderia
Já aconteceu por aqui, pois temos internet em casa desde os tempos da discada e
Você conhece a Inspirarte? A plataforma, criada pela Faber Castell, para os amantes da arte,
Uma análise do comportamento afetivo da geração millennial e perspectivas para o amor no futuro.
Sexta-feira passada, a atriz Carrie Fisher sofreu um grave ataque cardíaco de 15 minutos antes
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas