Envelhecendo feliz

manuso1.jpgOntem saiu mais uma edição do jornal eletrônico que Aline faz. Para quem não sabe, ela é uma entusiasta do positivismo e oferece mensagens positivas em seus blogs, editando bimensalmente um jornal que nos incita a ter uma postura de vida otimista. Na edição de janeiro e fevereiro de 2008 o tema é o envelhecimento feliz e Aline publicou uma poesia do meu sogro, que eu postei aqui no blog na data de seu aniversário de 65 anos, chamada O Umbral dos Tempos Maiores. Quem quiser conferir este e outros textos que refletem uma forma positiva de encarar a nova fase de vida que é a idade madura (e ela tende a ser longa e produtiva para as gerações que a alcançam agora) pode baixar o jornal em pdf aqui. Este texto já fez parte também da Coletânea Artesanal, da Lunna.

Uma das atitudes que meu sogro tomou ao se aposentar, em 2006, foi escolher atividades para se dedicar. Começou uma horta em casa, passou a cantar em dois corais (já gravou o CD La Piccola Città para um deles, o Coral Folclórico Italiano de Santa Felicidade) e faz aulas de natação. Mas as duas atividades que, creio eu, lhe dão maior prazer são as tardes em que conduz a neta para escola (e neste ano esta função de avô aumenta com outras duas netinhas em sua casa) e as aulas noturnas de alfabetização de adultos. Pelo que me lembro descobriu a ong que presta este serviço no bairro onde mora há 14 anos. Mas vou perguntar para ele a história inteira para contar aqui. 😉

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook