Empreender ou fazer carreira?

20121008-114633.jpg

Vendo Encontro (com Fátima Bernardes) na espera do médico, ouvi a atriz Cássia Kis Magro falar que venderia kibe na rua porque tem esta disposição de interagir com pessoas e de ser ativa, e me identifiquei.

Deve ser por isso que eu nunca pensei em fazer concursos ou buscar uma longa carreira e optei por empreender. Criar um negócio e me reinventar diariamente nele é mesmo minha realização profissional diária. E espero que esta vida seja longa, sem perspectivas de aposentadorias tão cedo!

Por outro lado, como filha de funcionários de carreira (mãe Defensora Pública Estadual e pai Gerente de banco) reconheço que as pessoas com perfil para o trabalho regrado no cotidiano são muito valiosas para a sociedade e fico muito feliz por ver como amigos meus têm este dom e atuam bem na comunidade.

Efetivamente cada um tem seu papel e é uma maravilha quando as pessoas encontram felicidade no que fazem!

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.